NOTAS DA SEMANA – 30.07.2021

ENTREVISTA COM MARCIA BUDKE


1. Quem é Marcia Budke?

Nasci em Iraí, mas cedo me mudei com a família para Passo Fundo, onde vivi minha infância e adolescência. Filha de um pastor luterano e de uma professora, que infelizmente partiram muito cedo, levo na memória os grandes ensinamentos de pais amorosos em uma casa abençoada e com muito afeto.

Sonhadora como muitos geminianos, me considero uma pessoa inquieta, curiosa e otimista, que curte livros, autoconhecimento, gente, viagens, flores e família reunida. Quase comemorando bodas de prata no casamento com o Ricardo, sou mãe do Bruno e do Pedro, dois guris de enorme coração. E tenho também um cachorro chamado Rambo, mimado e apaixonadamente fofo.

Publicitária formada pela URFGS, MBA em marketing pela FGV, e Mestrado em Administração de Empresas pela PUCRS. Morei na Alemanha por quase 4 anos, onde estudei na Universidade de Colônia. Lá tive a oportunidade de trabalhar e aproveitar este período imensamente feliz viajando bastante. Como filha de “peixe” às vezes “peixinho é”, também adoro ensinar e aprendo muito com meus alunos em sala de aula. Sou professora na pós-graduação da Uniritter e FGV e já lecionei na Graduação do curso de Publicidade e Propaganda da ESPM.

Com 22 anos de mercado publicitário, comecei a trabalhar na Jornal Comunicações. Depois foram 13 anos no grupo RBS, iniciando na TVCOM e seguindo na RBSTV, CLICRBS, e por último no G1RS. Sou cofundadora da BrazoMídia, empresa que há 6 anos representa diversas plataformas de tecnologia no universo digital. Familiarizada com a dinâmica dos algoritmos, o foco da empresa é comercializar soluções de mídia digital para agências e anunciantes integrando plataformas tecnológicas robustas e inovadoras.

2. Em recente artigo dissestes que o futuro chegou no presente e o home office se tornou uma realidade consagrada. Tem mais ou para por aí?

Acredito que a pandemia e o isolamento social levaram as pessoas a pensar e se preocupar mais com suas vulnerabilidades, e isso acabou levando-as a compartilhar de uma maneira mais clara as dificuldades vividas no dia a dia. De um momento para outros, as pessoas passaram a ver e valorizar mais o que lhes parecia essencial. E dentro dessa visão sobre as coisas mais essenciais estava a preocupação com a qualidade de vida e o aproveitamento do tempo. Assim, todas aquelas longas reuniões presenciais, realizadas muitas vezes em lugares distantes, foram trocadas por reuniões virtuais, mais rápidas e com a vantagem de grandes economias de custo e em deslocamentos e hospedagens. Foi exatamente esse tempo que começou a ser percebido como mais valioso, para ser aproveitado de outras maneiras, com outras atividades prazerosas do cotidiano, como por exemplo, aprender algo novo, ler livros, descobrir um novo talento e principalmente, conviver mais e melhor com as pessoas que amamos. Para mim, e creio que para muitas outras pessoas também, este aprendizado é o “essencial” e a parte “copo cheio” da pandemia.

3. As lives, a call e outros caminhos tiraram o brilho do olho no olho?

É redundante afirmar, mas acredito que “nada substitui o calor e a força da presença física” nas relações pessoais e nos negócios. Porém, como enfatizado no artigo, a própria comunicação humana está ganhando novas características e um novo peso, já que os contatos passaram a se tornar virtuais por muito mais tempo, antes de adentrarem uma fase presencial, que era como todos estavam acostumados antes da pandemia. Estamos entrando numa fase de valorização dos contatos pessoais, que se dividiram entre presenciais e virtuais. Mas ao mesmo tempo, estamos aprendendo a ser mais empáticos e respeitosos com o nosso próprio tempo, e também com o tempo alheio. Acredito que o sistema híbrido de trabalho vai predominar em muitos mercados quando a crise passar.

4. Como é viver sem um abraço?

Foi uma fase muito difícil, em especial para as crianças e para as pessoas de idade avançada, privadas que foram por um longo período das relações presenciais em fases da vida em que tais relações são extremante importantes, senão vitais. Porém, a pior fase do isolamento social parece estar passando, e apesar dos pesares, as pessoas vão voltar a se encontrar e sentir todo o calor das relações humanas novamente. Não há tempestade que não acabe. Esperamos que com alguns ganhos, e com mais tempo livre. Mas, novamente, só o tempo dirá.

EFEITO DIRETO

Um executivo vice colocou que recentemente aprendeu na liturgia do cargo que é preciso ouvir mais do que falar – complementando – é preciso também dar as respostas no tempo prometido.

GAV

Está vindo aí mais uma live do Grupo de Atendimento de Veículos (GAV) RS com o assunto “Marketing Esportivo” e, logo após, outra com o foco em agronegócio.

Preparem-se, pois serão só feras e, sem dúvida nenhuma, será mais uma live imperdível.

FEEVALE

Os resultados do mapeamento sobre os impactos causados pela pandemia de Covid-19 na indústria criativa do Rio Grande do Sul resultaram em um e-book, lançado pela Universidade Feevale neste mês. A publicação, que também conta com edição impressa, reúne 11 artigos científicos nas áreas de Moda, Música, Informática, Artesanato, Publicidade e Propaganda, Patrimônio e Artes e Consumo Digital. A organização do material é dos professores Vanessa Valiati, Cristiano Max Pereira Pinheiro e Maurício Barth, todos do mestrado em Indústria Criativa da Instituição. O e-book pode ser acessado, gratuitamente, no site feev.as/covid_industria_criativa

As produções acadêmicas são fruto de uma pesquisa científica realizada no final do ano passado. Os resultados mostram como profissionais dos setores criativos do Estado se adaptaram frente às dificuldades impostas pelo coronavírus. Segundo o coordenador do mestrado em Indústria Criativa, Cristiano Max Pereira Pinheiro, o e-book traz reflexões importantes sobre as novas rotinas nas quais os trabalhadores dessas áreas precisaram se adentrar. “Após uma pesquisa de campo intensa, o livro digital conseguiu reunir um material teórico vasto que busca orientar a proposição de políticas públicas e soluções para os setores criativos afetados pelo vírus”, afirma. 

Além de analisar a produção de profissionais das áreas criativas, o material conta, também, com publicações sobre as mudanças no consumo digital ocasionadas pela pandemia. A professora Vanessa Valiati explica que o isolamento social aumentou o interesse em plataformas de streaming e lives, que tiveram crescimento no número de acessos e assinaturas desde o ano passado. “A partir do mapeamento científico, podemos identificar como os gaúchos consumiram conteúdos audiovisuais, músicas, jogos digitais e lives nesse período de isolamento, que trouxe uma vida entre telas mais intensa”, destaca.

A pesquisa que resultou no e-book foi elaborada pelos docentes, mestrandos, graduandos e bolsistas da Feevale. O projeto também é financiado pela Federação de Amparo à Pesquisa no Rio Grande do Sul (Fapergs) – através do edital ARD/2019 – e conta o apoio do Governo Estadual, por meio do programa RS Criativo da Secretaria da Cultura do Estado. 

LOJAS LEBES

A nova campanha da Lebes “Dia dos Pais.O melhor estilo de ser pai!” celebra o jeito de cada um acompanhar o dia a dia dos filhos, fortalecendo o amor, a proximidade e a cumplicidade nessa relação tão especial.  Afinal, não existe uma fórmula única de ser pai. O importante, nesse universo da paternidade, é dar o melhor de si, sabendo que este vínculo é construído em todos os momentos.

E para homenagear os variados estilos de pais, a Lojas Lebes criou uma campanha 360º, que tem como protagonista o influenciador Pedro de Oliveira (@ocanalserpai) e a sua filha, Ana. Eles estamparão a capa da Revista Lebes, impressa e digital, além de ilustrarem peças da campanha em diversos canais.

O influenciador, que também é ator, publicitário e palestrante, criou o canal S.E.R. Pai com o objetivo de incentivar os homens a serem pais participativos e conscientes na criação dos filhos. É sobre esse tema que ele vai conversar com três colaboradores da Lebes, que já são pais, durante uma live, para trazer exemplos reais sobre o cotidiano e a relação de pais e filhos. A conversa franca e aberta vai acontecer no dia 3 de agosto, terça-feira, às 19h, no perfil da empresa no Instagram @lojaslebes.

A campanha conta também com uma websérie, que mostra três diferentes histórias sobre ser pai.  Além do @ocanalserpai, participam também @euformiga (pai do Joaquim, de quase 2 meses) e o @pai_mala (pai do Gianluca de 14 anos e do Stefano de 7). As histórias serão contadas através das redes sociais da rede varejista. 

A ação 360º para o Dia dos Pais da Lebes, criada pelo time de Marketing da rede, inclui TV, rádio, jornal, revista, e-commerce, redes sociais, WhatsApp, SMS, e-mail marketing e lojas físicas. 

MOOVE

Com 19 anos recém comemorados, a Moove está nas ruas com o conceito ‘Crie Novas Conexões’. Para a agência, a Comunicação é a ponte que promove conexões. “É por meio da Comunicação que alcançamos público e mercado, qualificamos as relações e expandimos a potência de marcas, produtos e serviços”, explica o CEO Gabriel Fuscaldo.

O novo conceito reflete os movimentos que a Moove fez nos últimos meses. Em pleno enfrentamento dos desafios apresentados pela pandemia de Covid-19, a agência preparou a equipe para a integração e a pluralidade exigidas pelo trabalho remoto, e expandiu a operação e o time para as cidades de Florianópolis e Brasília, onde já atende a importantes contas, como o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e o Governo do Estado de Santa Catarina.

“Temos profissionais e ferramentas focados no conceito ‘Crie Novas Conexões’, o que nos abre oportunidades de expansão e nos possibilita criar novas formas de alcançar resultados”, afirma Gabriel Fuscaldo.

Em um mundo cada vez mais digital, onde a conexão faz parte do dia a dia, a Moove buscou inspiração nas redes sociais para o novo conceito e a nova identidade visual. As peças transmitem o significado de conexão, que está relacionado à informação e a ligações mais profundas e emocionais.

A logomarca utiliza ícones para expressar a conexão e a imersão nas redes sociais, aliadas a uma estética com linhas leves e minimalistas, sem perder a identidade da agência com as duas letras ‘O’ características. Nas cores, a escolha pelo preto e branco reforça ainda mais o minimalismo e dá uma nova cara para a Moove.

INOVAÇÃO NO MUNDO DIGITAL

A Agência Moove recebe, nesta quarta-feira (28), às 11h, no Café 5.0, o secretário nacional de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro. O evento vai reunir colaboradores e clientes para um bate-papo sobre inovação no mundo digital.

O gaúcho Luis Felipe Monteiro foi indicado, em 2018, como uma das 100 Pessoas Mais Influentes do Mundo em Governo Digital e, em 2020, como uma das 50 Pessoas Mais Influentes do Mundo Revolucionando Governos. É servidor de carreira de Planejamento e Orçamento, e dedicou-se à implantação de ações de inovação no setor público.

Foi diretor de Modernização e secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ministério do Planejamento. Graduado em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Maria, tem mestrado em Gestão de Tecnologia da Informação, MBA em Administração Estratégica de Sistemas de Informação pela FGV, e certificação pela Universidade de Harvard em Liderança e Inovação em Contexto de Mudança e Transformação Digital no Governo.

Café 5.0

Café 5.0 é um encontro mensal promovido pela Moove e reúne colaboradores e convidados para discutir temas que envolvem a mentalidade digital. É um evento organizado pelo Núcleo de Dados e Performance da agência, time responsável pelas entregas de produtos e serviços digitais.
Ficha Técnica

Campanha: Novo Conceito Moove 2021
Head de Relacionamento e Negócios: Luana Rodrigues
Relacionamento e Negócios: Caroline Fuscaldo e Juliana Cardoso
Head de Inteligência Criativa: Laura de Azevedo
Inteligência Criativa: Moisés Bettim, Valéria Dalla Corte e Jean Civa
Inteligência Criativa – Finalização: Christian Vieira
Performance – Digital: Débora Martins, Bruno Milão, Thanise Melo e Mariana Gonzales
Performance – Produção: Carla Bildhauer, Robson Albuquerque e Branca Guedes
Performance – Mídia: Paula Santos
Aprovação: Marlene Martinez e Renata Vieira Martins

GRUPO RBS

O Grupo RBS anunciou, nesta quinta-feira (29), o início de um novo ciclo estratégico. Passando por renovação da estrutura organizacional, um plano de investimentos robusto e um novo posicionamento institucional, o movimento acelera e intensifica a conexão da empresa com as principais tendências para o futuro do setor.

O Comitê Executivo da empresa será renovado, com a criação de três novas frentes: Estratégia e Transformação; Jornalismo e Esportes e Entretenimento e Canais. Até 2024, serão investidos R$ 70 milhões na modernização dos parques tecnológicos de rádio e televisão, no desenvolvimento de produtos e em digital. E, como marca, a RBS prepara um novo posicionamento institucional para gerar um diálogo ainda mais próximo com os mais variados setores da sociedade gaúcha, em toda a sua pluralidade, a partir do seu jornalismo e mirando o desenvolvimento do Estado.

As mudanças ocorrem em um contexto em que o grupo aproveita um cenário positivo de negócios para reforçar sua estratégia, baseada em visão de fora para dentro, evolução digital e valorização do jornalismo, do esporte e do entretenimento. No primeiro semestre deste ano, a empresa superou em 22% a meta de resultados para o período e conseguiu, assim, programar a antecipação do pagamento de meio salário referente ao PPR dos funcionários para o início de agosto.

Os bons resultados celebram o fechamento de um ciclo estratégico que se iniciou em 2016.  A RBS foi pioneira na implementação de um modelo de atuação comercial inovador na indústria de mídia brasileira. Criando uma oferta de produtos e serviços para o mercado publicitário, investindo em uma área de dados – o que reforçou sua expertise de especialista sobre o consumidor gaúcho – e mudando a forma de se relacionar com os clientes – passando de uma estrutura organizada por produto para uma organização consultiva e por clientes –, a empresa se posicionou como cliente centric, colocando o anunciante e suas necessidades no centro da estratégia comercial e integrando todo o seu atendimento ao mercado. Além disso, criou um produto digital de jornalismo a partir do co-branding de duas de suas principais marcas: Gaúcha e Zero Hora. GZH foi lançado em 2017, com um modelo de negócio baseado em paid content e conteúdo local e já conta com 97 mil assinantes, apresentando crescimento de 13% em assinaturas orgânicas em relação a junho de 2020. Ainda em relação ao ano anterior, a receita digital cresceu 29%.

– Estamos concluindo um ciclo bem-sucedido em uma indústria que tem enfrentado muitos desafios, que se agravaram durante a pandemia. Superamos metas e compartilhamos os resultados disso com nossos colaboradores. Enviamos nossas equipes para cobrir localmente os Jogos Olímpicos de Tóquio. E, agora, estamos saindo na frente para realizar com agilidade algumas das principais tendências do setor para os próximos anos: digitalização, diálogo e valorização do jornalismo profissional e independente – afirma o presidente da RBS, Claudio Toigo Filho

Conheça os principais pontos do plano da RBS:

Comitê Executivo

Uma nova estrutura organizacional entrará em vigor a partir de setembro, com a renovação do Comitê Executivo da RBS. Para acelerar o processo de transformação do negócio, foi criada uma frente de Estratégia e Transformação, liderada por Marcelo Leite, atual diretor-executivo de Marketing. A área irá aglutinar disciplinas críticas para o desenvolvimento do negócio, como digital, tecnologia, dados, consumer insights, comunicação e gestão de pessoas.

Marta Gleich, que hoje ocupa a diretoria de Jornalismo, assumirá a liderança da frente de Jornalismo e Esporte. No momento em que a sociedade volta a perceber o jornalismo profissional como um aliado relevante para contribuir para a formação de opinião e tomada de decisão no seu dia a dia, a RBS se organiza para intensificar seu compromisso com a atividade. Em Esporte, o grupo vai explorar ainda mais a estratégia de produção e distribuição de conteúdo esportivo com foco em transformação de negócio e geração de receitas.

Outra novidade é a frente de Entretenimento e Canais, sob a liderança de Marco Gomes, atual gerente executivo de Programação, Entretenimento e Projetos. Com ela, espera-se acelerar oportunidades de negócio a partir da sinergia das áreas, além de avançar no desenvolvimento estratégico das plataformas de TV e rádio. Carlos Fini, que é o atual diretor de Tecnologia da RBS TV, será consultor dessa frente.

Complementando o Comitê Executivo da RBS estão Patrícia Fraga (Mercado), Mariana Silveira (Finanças e Jurídico) e Caroline Torma (Comunicação).

Com as mudanças, Andiara Petterle, atual vice-presidente de Produto e Operações, deixará a RBS ao final de agosto para se dedicar à carreira de conselheira. Ao longo dos últimos sete anos, Andiara foi liderança-chave do processo de transformação, especialmente na evolução digital, liderando toda a operação de produto da empresa e as redações. Cezar Freitas, atual diretor de jornalismo da RBS TV, também encerrará seu ciclo na RBS. Cezar dirigiu o jornalismo de outros veículos da empresa, como Rádio Gaúcha e Canal Rural e, recentemente, liderou o planejamento e a execução de um novo modelo de operação de jornalismo no interior do Rio Grande do Sul, mais ágil, interativo e flexível. Construiu uma história de prestígio interno e externo, sendo referência no jornalismo do Estado.

R$ 70 milhões em modernização

Até 2024, a RBS pretende investir R$ 70 milhões na modernização de seus parques tecnológicos de rádio e televisão, na evolução de seus produtos e em digital. Parte desses recursos será aplicada ainda em 2021, em um novo ciclo de transformação dos negócios.

Apesar de todas as transformações na indústria de comunicação, o rádio experimenta constante crescimento e capacidade de aproveitamento das novas plataformas e tecnologias para ampliar sua relação com a audiência, em alinhamento com o comportamento de consumo de mídia dos gaúchos.

Otimista também em relação ao futuro da TV aberta no Brasil, a afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul está atenta ao acelerado avanço pós-TV digital HD, que prevê tecnologias para personalização de conteúdo, alta qualidade e expansão de funcionalidades – as TVs 2.5 e 3.0. A evolução dos aparelhos de televisão (smart TVs), incluindo ampla conectividade com internet, capacidade de resolução 4k e outras vantagens irá acelerar a adoção dessas novidades. A RBS quer acompanhar o processo e, por isso, prepara sua infraestrutura e operação para este novo ciclo de evolução.

Posicionamento institucional

Os anúncios preparam o terreno para o lançamento de um novo posicionamento institucional do Grupo RBS. Focado em promover um diálogo cada vez mais próximo e frequente com os diversos setores da sociedade e da economia do Rio Grande do Sul, o posicionamento terá como prioridade atender à pluralidade do público gaúcho, impulsionando e valorizando cada vez mais temas que contribuam para o desenvolvimento do Estado. A partir da crença no jornalismo profissional, a RBS quer ser a arena onde as vozes relevantes do Estado debatam e discutam perspectivas para o Rio Grande do Sul.

– Estamos tomando muitas ações para reforçar nossa capacidade de falar com e para todos os gaúchos. Perseguimos a pluralidade, sempre muito próximos dos temas que são caros para o gaúcho. Na nossa visão, a união de esforços é imprescindível. Com o fim da pandemia e a retomada econômica, há espaço para discutirmos em conjunto, como sociedade, os próximos ciclos do nosso Estado. E queremos estar à disposição desse propósito – conta Toigo.

DIA DOS PAIS

Uma relação baseada em confiança, inspiração e exemplo naquilo que desejamos ser. Mais do que as músicas que embalam nosso gosto musical ou a paixão pelo time que torcemos, de pai para filho se herda amor. Um amor de família, que acolhe e protege, que nos incentiva a ser melhor sempre. É para celebrar esse sentimento que, nesta terça-feira (27), o Grupo RBS lançou uma campanha para marcar o Dia dos Pais, comemorado no dia 8 de agosto.    

Em sequência às campanhas de Dia das Mães e Dia dos Avós, a ação dá continuidade à proposta de celebrar as datas a partir de histórias amarradas pelo mesmo conceito, que é explorado sob diferentes perspectivas. Agora, o filme da campanha, lançado na noite dessa segunda-feira (26), durante a programação da RBS TV, conta a história entre o pai e a filha que, com a pandemia, compartilharam suas rotinas de professor e aluna, aprenderam e ensinaram juntos e foram inspiração um para o outro.     

A partir da mensagem “O amor nos dá confiança para crescer”, a ação de comunicação simboliza essa conexão marcada pela inspiração, pelo incentivo e pela confiança, celebrando o amor de pai, que encanta, que torce e que acolhe, que dá colo e conselho. Assim como no Dia dos Avós, a campanha convida os gaúchos a encontrarem a melhor forma de estar junto no Dia dos Pais e retribuir esse amor.     

Para marcar a data, os veículos do Grupo RBS preparam conteúdos editoriais especiais, que o público poderá conferir próximo ao dia. Nas redes sociais, a ação será ancorada na tag #AmorQueInspira. Além do filme, a campanha conta com desdobramento em rádio, digital e no impresso. 

Ficha técnica da campanha:   

Anunciante: Grupo RBS   

Produtora de vídeo: Mythago   

Diretor: Mocita Fagundes   

Assistente de direção: Cecília Saraiva 

Diretor de Fotografia: Marx Franzen   

Diretora de Produção: Márcia Belloc e Nádia Mendes   

Diretor de Arte: Bernardo Zortea   

Atendimento: Mirela Cunha   

Produção de Elenco: Fabianne Freitas   

Make: Valéria Oliveira   

Montagem: Luiz Todeschini 

Finalização: Guilherme Muxfeldt   

Coordenação de Pós: Luiz Todeschini   

Produtora de Áudio: Radioativa   

Direção de Criação: Fernanda Alencastro   

Direção de Arte: Paula Hartz   

Roteiro: Tiago Russel e Rafael Bohrer   

Aprovação: Caroline Torma, Bárbara Fabres, Fernanda Alencastro e Gabriela Luz Rocha

GAÚCHA ATUALIDADE

No dia em que o Rio Grande do Sul chega ao marco de 25% da população completamente vacinada contra a covid-19, o Gaúcha Atualidade dá início a uma série de entrevistas que reforça ainda mais a esperança por dias melhores: estreou, nesta segunda-feira (26), uma série de entrevistas com líderes e empresários de diversos setores econômicos do Estado. De segunda a sexta-feira, por volta das 9h30, a atração vai revisitar fontes ouvidas no auge da crise causada pelo coronavírus para saber da retomada e da expectativa para os próximos meses, a partir do avanço da vacinação.

– Durante os últimos meses torcemos por dias melhores e eles enfim estão chegando. Ainda não vencemos o vírus, mas alguns passos importantes estão sendo dados para a retomada da economia do Estado. Ouvimos diferentes setores nos piores momentos e é bom poder conversar com eles em uma situação mais favorável, com mais esperança de um futuro melhor para todos os gaúchos – destaca a editora-chefe da Gaúcha, Andressa Xavier.

Para trazer atualizações sobre o momento em que o setor lojista está vivendo, o primeiro entrevistado da série foi o presidente da CDL Porto Alegre, Irio Piva. Durante o bate-papo, ele demonstrou otimismo pelo o que está por vir, reforçou a expectativa pelas próximas datas comemorativas e relembrou a importância de manter os protocolos recomendados pelos órgãos de saúde. Para conferir a entrevista, clique aqui. Durante os próximos dias, o Gaúcha Atualidade dará espaço para representantes da indústria, do comércio, de serviços e do agronegócio.

MASBAH!

O “Masbah!” deste sábado, 31 de julho, aproveita o clima de inverno e vai até Pinto Bandeira, cidade na Serra Gaúcha, para conhecer uma vinícola e um restaurante com pratos clássicos de diferentes regiões do mundo que produzem vinho. A apresentadora Brunna Colossi ainda traz algumas dicas sobre o consumo da bebida e do tradicional espumante dos pampas.

O programa também confere de pertinho o dia a dia dos cães da Brigada Militar, que atuam em operações policiais junto com as tropas. O “Masbah!” mostra o treinamento e o adestramento dos “agentes de quatro patas” e como eles ajudam a cuidar da população na defesa contra o mundo do crime.

Misturando ginástica rítmica e patinação artística em um desafio de basquete, a atração conhece o único complexo exclusivo do esporte no Brasil e traz um game que mistura as três modalidades e grandes atletas e campeões gaúchos.

Já no programa do “Anonymus Gourmet”, é dia de aproveitar um cardápio completo com o “Macarrão com Limão” e com o “Minibolo de Chocolate”.

O “Masbah!” é exibido aos sábados, a partir das 12h, e o “Anonymus Gourmet”, logo após, no SBT do Rio Grande do Sul.

IGUATEMI POA

O Iguatemi Porto Alegre agora conta com uma unidade da Americanas. Inaugurada nesta segunda-feira (26), a loja é de modelo tradicional e terá sortimento de até 60 mil itens, entre categorias como alimentos e bomboniére, informática, games, telefonia, utilidades domésticas, brinquedos e eletrônicos. O espaço fica localizado em frente à praça de alimentação do 1º piso.

“Com o intuito de proporcionar experiências únicas aos nossos visitantes, sempre buscamos trazer marcas conceituadas ao shopping e, ao mesmo tempo, diversificar o nosso mix de operações. Além disso, a Americanas é uma loja que sempre foi muito pedida por nossos clientes. Por isso, temos a certeza de que a novidade será bem-recebida pelos consumidores e que irá agregar valor ao empreendimento”, afirma Nailê Santos, Gerente Geral do Shopping Iguatemi.

Com mais de 1.700 pontos pelo país, distribuídos em mais de 760 cidades, a Americanas escolheu o Iguatemi para reforçar sua presença em Porto Alegre. Atualmente, a companhia já conta com mais de 60 unidades no Rio Grande do Sul.

Funcionamento do shopping

As lojas, cafeterias, restaurantes e opções de lazer operam de segunda a sábado, das 10h às 22h. Nos domingos, as lojas abrem das 14h às 20h. Já as operações de alimentação e lazer funcionam entre 11h e 22h, incluindo nos feriados. O Iguatemi Porto Alegre reforça que segue os protocolos de saúde e proteção recomendados pelos órgãos responsáveis. No acesso ao empreendimento, está sendo realizado monitoramento com aferição de temperatura, disponibilização de álcool em gel e indicações gráficas para o distanciamento recomendado.

Serviço
Americanas Iguatemi Porto Alegre
Onde: 1º piso do Iguatemi Porto Alegre, em frente à praça de alimentação
Horário de funcionamento: segunda a sábado das 10h às 22h
Domingos e feriados das 14h às 20h

DIA DOS PAIS IGUATEMI

Os aprendizados e lições que agregamos ao longo da vida não só são herdados de pais para filhos, mas também dos filhos para os pais. Neste Dia dos Pais, o Iguatemi Porto Alegre quer valorizar e celebrar essas trocas entre pais e filhos. Por isso, o shopping buscou histórias reais de diferentes famílias que mostram que, além de ensinar, os homens aprendem diariamente na jornada da paternidade.

É o caso do Beto Brigatti, escritor e criador de conteúdo digital conhecido por falar nas redes sociais sobre inclusão e sobre suas vivências com os filhos, Gianluca e Stefano. O Beto nasceu sem a mão direita e costuma dizer que Deus deu a ele um coração a mais para compensar. Desde bem pequeno, o filho caçula costuma fazer carinho nos quatro “dedos” do braço direito do pai para conseguir dormir. O gesto é simples, mas contribuiu para que Beto se aceitasse da forma como ele é, além de estabelecer um vínculo muito forte entre ele e o pequeno.

Para simbolizar estas trocas, o Iguatemi também convidou a atriz, DJ e criadora de conteúdo Mari Krüger para contar a sua história. A Mari foi adotada pelo Paulo quando era recém-nascida. A história dos dois é marcada pela admiração dela pelo pai, que a motivou a se formar na universidade federal e buscar o diploma de Biologia, uma de suas diversas paixões. No primeiro dia em que ela foi almoçar no restaurante universitário, o pai estava tão emocionado que fez questão de servir o prato dela, para demonstrar o orgulho e apresentar a universidade para a filha. Paulo realizou um sonho em dobro: ter uma filha e vê-la seguindo os passos dele.

O Caio Mastrascusa também tem uma relação especial com os filhos, os quais educa com muito carinho e dedicação. Pai dos gêmeos Cecília e Arthur, Caio é marido da Duda, com quem tinha um relacionamento à distância quando descobriram a gravidez. Ele morava em Curitiba e ela, em Porto Alegre. Durante o período pré-natal ele fez questão de vir para a capital gaúcha acompanhar os exames e, quando os gêmeos nasceram, ele tirou férias para cuidar dos pequenos. Desde então, nasceu nele o papel da paternidade ativa, muito além das convenções tradicionais. Caio é sinônimo de pai presente e sempre sentiu a necessidade de estar perto dos filhos – ele abriu mão de seu trabalho no Paraná e passou a morar em Porto Alegre, onde vive com a família. Atualmente, ele trabalha de casa, para ter mais tempo para as crianças e a esposa. No pós-parto, ele exerceu pela mãe uma série de atividades, fornecendo o suporte necessário para a recuperação da Duda.

A campanha “Pequenas experiências que são grandes presentes”, desenvolvida pela agência W3haus, pode ser conferida no Instagram do Iguatemi (@iguatemipoa), que está divulgando fotos e vídeos com os relatos. Além disso, o shopping preparou uma playlist especial para comemorar a data, que está disponível no perfil de Spotify do Iguatemi Porto Alegre.

ELETROMIDIA

A Eletromidia, com mais de 60 mil faces digitais e estáticas nas maiores cidades do País, acaba de adquirir 74,65% das ações da Otima Concessionária de Exploração de Mobiliário Urbano. A aquisição, que também engloba a possibilidade de compra das ações restantes, após a conclusão da operação, foi firmada por meio da Publibanca S.A., subsidiária da companhia. O preço total a ser pago aos acionistas da Otima é de R$ 416.758.873,16, sendo R$ 356.954.315,75 à vista e R$ 59.804.557,41 a prazo.  A conclusão da transação está sujeita, ainda, ao cumprimento de determinadas condições precedentes, incluindo a aprovação do CADE.

A Otima foi fundada em 2013 na cidade de São Paulo com a missão de promover uma transformação na paisagem da capital através do contrato de concessão para instalação e manutenção dos abrigos em pontos de ônibus do município. Atualmente a Otima possui 3.737 painéis em São Paulo instalados por todo município em seus abrigos em pontos de ônibus, por onde passam cerca de 3,5 milhões de pessoas diariamente. Hoje possui 180 painéis em formato digital.

Com a aquisição, a Eletromidia complementará sua presença na vertical de ruas e inaugura sua entrada no segmento de mobiliário urbano na cidade de São Paulo, principal mercado anunciante brasileiro.  Dessa maneira, a empresa pretende entregar soluções completas nas ruas, transportes, elevadores, shoppings e aeroportos, para expandir seu portfólio no País.

“Além de ser estrategicamente importante para o crescimento da Eletromidia, a aquisição amplifica a força comercial das duas companhias. O investimento é pertinente, estratégico e em linha com a tese que norteou o nosso IPO no começo do ano, de aquisições que completam o catálogo de produtos oferecidos pela empresa”, enfatiza Eduardo Alvarenga, CEO da Eletromidia

“Esse movimento tem como principal narrativa a busca dos nossos clientes por projetos cada vez mais atrativos, digitalizados e integrados. Queremos triplicar o número de faces digitais nas ruas de São Paulo que nos permitirá oferecer uma plataforma mais ágil e com todas as possibilidades que esse ativo já tem hoje”, afirma Alexandre Guerrero, CSO da Eletromidia.

Com a entrada nas ruas de São Paulo, a Eletromidia ainda espera gerar ganhos para toda a sua operação de ruas também nas cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife. Ao acompanhar a jornada do público diariamente, a Eletromidia usa dados de segmentação dos mais diversos recortes da população. Os ambientes em que a empresa está presente são monitorados para que a comunicação das marcas acompanhe cada momento dos consumidores. Por meio do uso de tecnologia digital adicional nas telas, a companhia oferece uma solução completa às marcas e anunciantes que maximiza o retorno sobre o investimento em publicidade.

Hora de investir

Aproveitando o momento promissor, a Eletromidia está investindo R$ 150 milhões em edifícios residenciais, em diversas cidades brasileiras. Entre os principais focos estão os condomínios-clube, uma tendência no mercado imobiliário e um formato que agrega um grande fluxo de pessoas que pode ser impactado por este tipo de comunicação.

“Com o sucesso das nossas telas entre moradores e síndicos, enxergamos este segmento como uma excelente oportunidade de estarmos ainda mais presentes na vida das pessoas e ainda expandirmos a nossa operação no País. As oportunidades nesse segmento serão sempre avaliadas e projetamos um forte crescimento orgânico”, destaca Alvarenga.

MÍDIA ONLINE

Comitê Técnico Digital do Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp) passou os últimos dias dedicado a um projeto de revisar as atuais regras a respeito da comercialização de mídia no ambiente da internet.

A iniciativa partiu da percepção de que é necessária uma atualização das recomendações para melhores práticas no ambiente digital. O grupo dedicou-se ao assunto nos últimos dias e as conclusões e atualizações deverão ser anunciadas em breve.

O Comitê Técnico Digital do Cenp é composto por Aga Porada, da Africa; Camila Costa, da ID\TBWA; Ezra Geld, do IPG Mediabrands; Guido Sarti, da CCR; Páris Piedade Neto, da Natura; Rafael Davini, do SportingBet; André Vinicius, da Globo; Bebeto Pirró, do UOL; Paulo Rogério Casas Arruda, da Kantar Ibope Media, e Patrícia Garrido, do Nubank.

Patricia declarou que o mercado está em transformação e que é preciso acompanhar esse processo. “Há algumas premissas básicas, que não mudam, como transparência, isonomia, segurança jurídica para as partes envolvidas, mas está claro que vivemos um novo momento da comunicação digital, impulsionado – inclusive – pela pandemia e maior consumo do digital. Temos um comitê plural com representantes de todos os setores de interesse – agências, anunciantes, mídia – e chegaremos a novos recomendações, que sejam benéficas ao mercado”, promete.

IAB BRASIL

O conselho de Legal Affairs do IAB nos Estados Unidos acaba de lançar o compêndio Cross-Jurisdiction Privacy Project (CJPP – Projeto de Privacidade entre Jurisdições), denominado: Leis de Privacidade e Publicidade Digital: Visão Geral e Implicações Multijurisdicionais. O documento tem o objetivo de examinar as leis de proteção de dados de 11 países – Austrália, Brasil, Canadá, China, Índia, Israel, Japão, México, Nigéria, Cingapura e Coréia do Sul – e seus impactos para a publicidade bem como as especificações legais.

Hoje, dois terços dos países do mundo promulgaram legislações de proteção de dados. Para ajudar o mercado de publicidade digital a entender os requisitos de privacidade em todo o mundo, bem como fornecer ao IAB Tech Lab os principais requisitos para o desenvolvimento de uma plataforma de privacidade global, o IAB reuniu advogados especialistas no tema de onze diferentes jurisdições.

O CJPP fornece uma visão geral das leis de proteção de dados dos países cobertos e examina como elas se aplicam às atividades de publicidade digital que podem envolver dados pessoais. As Especificações Legais CJPP que acompanham o Compêndio estabelecem as entradas legais necessárias para uma cadeia de privacidade global para enfrentar o desafio de demonstrar conformidade com vários requisitos de notificação e escolha distintas de várias jurisdições.

“Trabalhamos com 150 advogados do mundo todo para criar o CJPP e entendemos como cada jurisdição equilibra a transparência para o consumidor e o controle com suas próprias nuances legais que derivam de escolhas sobre a política” diz Michael Hahn, vice-presidente sênior e Conselheiro Geral do IAB e IAB Tech Lab. “Outras publicações certamente fornecem uma visão geral dessas leis de privacidade, mas o nosso documento vai além, porque explica como elas impactam à publicidade digital”, complementa.

Principais destaques

O documento revela que em, pelo menos, metade das jurisdições examinadas não é necessário o consentimento para atividades de publicidade digital, como selecionar quais anúncios digitais são exibidos aos usuários e gerar segmentos de audiência para fins publicitários. Além disso, constatou-se que uma lista de fornecedores globais, nomeando todas as empresas participantes de uma transação de publicidade digital – outra ferramenta criada para facilitar a conformidade com o GDPR – somente foi necessária em apenas outras duas jurisdições para alcançar conformidade com os requisitos locais.

Além do Compêndio, o CJPP também publicou uma representação visual que compila os principais elementos das leis de privacidade para encontrar semelhanças e diferenças entre jurisdições. As Especificações Legais serão utilizadas pelo IAB Tech Lab para o desenvolvimento de uma string de privacidade global e mapear como as leis de privacidade das jurisdições participantes se relacionam com um conjunto padronizado de conceitos.

“O IAB Tech Lab vê muito valor neste grandioso projeto. Ele tem o potencial de ajudar nossos novos designs de Plataforma de Privacidade Global a alcançar mais mercados com mais rapidez, o que seria uma grande vitória para o ecossistema de publicidade digital”, disse Alex Cone, vice-presidente de privacidade e proteção de dados do IAB Tech Lab.

“O documento pode ajudar empresas e autoridades públicas a entender melhor como a LGPD viabiliza atividades da publicidade digital e possibilita agregar valor para consumidores, veículos, agências, plataformas e anunciantes, com segurança jurídica e respeito à privacidade”, disse Marcel Leonardi, Sócio da Leonardi Advogados, que colaborou com o IAB US no capítulo Brasil da iniciativa.

Capítulo Brasil

O capítulo sobre a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) do compêndio do CJPP será publicado em português no próximo dia 4 de agosto pelo IAB Brasil. No mesmo dia acontecerá um webinar gratuito destinado aos interessados na aplicação de leis de proteção de dados e privacidade à publicidade digital com a participação de Michael Hahn (Senior Vice President and General Counsel no IAB Tech Lab) e Alex Cone (Vice President, Privacy & Data Protection no IAB Tech Lab), além de Cecília Coutinho (Veirano Advogados), Henrique Fabretti Moraes (Opice Blum) e Marcel Leonardi (Leonardi Advogados), que apoiaram o IAB US no capítulo Brasil desta iniciativa, para falar sobre o projeto.Para conhecer o documento na íntegra, acesse o portal do IAB-USA

QUEDA DE CONSUMO

O consumo das classes C e D no Brasil recuou 5% em junho, depois de ter subido 8% em maio, de acordo com a Pesquisa de Hábitos de Consumo da Superdigital, fintech do Grupo Santander. O levantamento é realizado mensalmente e busca traçar o perfil do consumidor das classes C e D.

No Rio Grande do Sul, houve queda no consumo de 12% sobre maio, puxado, principalmente, pelos setores Diversão e Entretenimento (-41%), Lojas de Artigos Diversos (-22%) e Telecomunicações (-22%). Houve crescimento em Hotéis e Motéis (27%), Combustível (15%) e Rede Online (14%).

A maioria das regiões do Brasil apresentou queda em junho comparado com o mês anterior. Contudo, a queda mais expressiva, com 17%, foi vista na região Norte, seguido pelo Sul (-7%), Nordeste (-4,5%) e Sudeste (-4%). O Centro-Oeste teve leve alta de 0,5%.

Os recuos mais significativos foram vistos nos setores de Diversão e Entretenimento (-9%), Prestadores de Serviços (-7%), Serviços (-7%), Telecomunicações (-5%) e Drogaria e Farmácia (-4%). Na outra ponta, cresceram os gastos com Companhias Aéreas (21%), Rede Online (12%), Hotéis e Motéis (8%) e Automóveis e Veículos (3%).

O levantamento da Superdigital mostrou que não houve grandes mudanças na divisão dos gastos mensais das classes C e D. Supermercado continua sendo o setor mais representativo, com 34% do total, seguido de Restaurantes (12%) e Lojas de Artigos Diversos (11%).

Em junho, 81% dos gastos totais foram feitos presencialmente. Contudo, foi possível observar pelo estudo da fintech que caiu a participação online no total dos gastos online com Serviços, Prestadores de Serviços e Diversão e Entretenimento.

Na avaliação de Luciana Godoy, CEO da Superdigital no Brasil, as pessoas estão se sentindo mais seguras para irem às ruas e consumirem. “Podemos ver um grande aumento nos gastos do setor de turismo, com Companhias Aéreas e Hotéis. Ou seja, as pessoas, aos poucos, estão voltando a viajar. Acreditamos que o recuo nos gastos gerais em junho seja pontual. Também não podemos esquecer que maio foi um mês de grande recuperação e com uma data importante para comércio, que foi o Dia das Mães. Por isso, para nós, era esperado que junho apresentasse arrefecimento, mas continuamos acreditando num segundo semestre bom para o varejo”, avalia a executiva.

Para acessar os dados completos da pesquisa, clique aqui.

Recortes regionais

SUDESTE

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, o consumo em junho sobre o mês anterior andou de lado, em 0,1%, depois de um crescimento significativo em maio, de 38%. Os setores que mais cresceram foram Companhias Aéreas (58%), Rede Online (38%), Diversão e Entretenimento (15%) e Hotéis e Motéis (15%). As quedas foram observadas nos setores Lojas de Artigos Diversos (-9%), Telecomunicações (-8%) e Combustível (-6%).

São Paulo

Em São Paulo, houve queda no consumo em 4% sobre maio. O resultado foi puxado, principalmente, por Diversão e Entretenimento (-12%), Prestadores de Serviços (-6%) e Serviços (-6%). No entanto, houve crescimento em Companhias Aéreas (24%), Rede Online (12%) e Lojas de Roupas (5%). Restaurante apresentou estabilidade.

Minas Gerais

Em Minas Gerais, a queda no consumo em junho foi de 9% sobre o mês anterior. Os setores que apresentaram declínio foram Serviços (-13%), Prestadores de Serviços (-10%) e Telecomunicações (-8%). Houve crescimento em Companhias Aéreas (82%), Hotéis e Motéis (49%) e Diversão e Entretenimento (33%).

Espírito Santo

No Espírito Santo, o consumo também fechou o mês com queda de 12,5%. Hotéis e Motéis apresentaram declínio de 60%, seguido de Rede Online (-53%) e Diversão e Entretenimento (-34%). Em contrapartida, o setor Companhias Aéreas manteve crescimento pelo segundo mês consecutivo, fechando junho com alta de 100%. Setores como Prestadores de Serviços e Lojas de Artigos Diversos cresceram 13% e 12%, respectivamente.

SUL

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, houve queda no consumo de 12% sobre maio, puxado, principalmente, pelos setores Diversão e Entretenimento (-41%), Lojas de Artigos Diversos (-22%) e Telecomunicações (-22%). Houve crescimento em Hotéis e Motéis (27%), Combustível (15%) e Rede Online (14%).

Paraná

No Paraná, junho apresentou queda no consumo de 5% ante maio. Os setores mais representativos foram Lojas de Artigos Diversos (-11%), Telecomunicações (-8%) e Automóveis e Veículos (-7%). Houve crescimento em Companhias Aéreas (20%), Rede Online (13%) e Transporte (6%).

NORTE

Amazonas

No Amazonas, o consumo apresentou queda de 11% ante maio. Foi o segundo mês consecutivo de declínio, puxado, principalmente, pelos setores Restaurante (-12%), Diversão e Entretenimento (-9%), Transporte (-9%) e Supermercado (8%). Houve crescimento significativo no setor hoteleiro de 209%, seguido de Automóveis e Veículos (41%) e Combustível (5%).

Pará

No Pará, junho apresentou declínio no consumo de 25% sobre o mês anterior, depois de ter registrado alta de 33% em maio. As maiores quedas foram nos setores Diversão e Entretenimento (-38%), Drogaria/Farmácia (-36%) e Prestadores de Serviços e Lojas de Artigos Diversos, ambos negativos em 27%. Houve crescimento em apenas dois setores analisados na pesquisa: Companhias Aéreas (17%) e Transporte (12%).

NORDESTE

Bahia

O consumo na Bahia teve um pequeno declínio de 1% em junho ante maio. Os principais setores que apresentaram queda foram Diversão e Entretenimento (-21%), Drogaria/Farmácia (-4%) e Combustível (-3%). Cresceram os setores Companhias Aéreas (41%), Rede Online e Automóveis, ambos com alta de 31%, Hotéis e Motéis (28%) e Lojas de Roupas (9%).

Ceará

O Ceará teve queda de 3% no consumo em junho sobre maio. Os setores mais impactados foram Hotéis e Motéis (-21%), Automóveis e Veículos (-15%) e Diversão e Entretenimento (-13%). Houve crescimento em Companhias Aéreas (27%), Lojas de Artigos de Roupas (18%) e Prestadores de Serviços (10%).

Pernambuco

Em Pernambuco, o consumo teve uma leve queda de 1% em junho frente a maio. Ao contrário dos resultados dos outros estados brasileiros, o setor de Companhias Aéreas fechou o mês negativo em 52%. Rede Online e Prestadores de Serviços também tiveram declínio de 30% e 17%, respectivamente. Em contrapartida, houve crescimento em Hotéis e Motéis (47%), Combustível (26%) e Automóveis e Veículos (8%).

SETOR FINANCEIRO

O mercado financeiro nacional vem se transformando nos últimos anos e a entrada de players digitais chacoalhou a forma de atender o cliente. A digitalização, no entanto, acelerou por conta da pandemia de covid-19. Diante das orientações de distanciamento social, serviços como cashback, PIX e QR Code se popularizaram e transformaram a forma como o brasileiro se relaciona com o dinheiro.

É o que revela a edição de julho do Data Stories, conteúdo temático lançado mensalmente pela Kantar IBOPE Media. Batizado de “Smart Banking: a nova relação com o dinheiro e o saldo da inovação”, os principais insights do relatório destacam o novo comportamento do consumidor e os cuidados na hora de gastar dinheiro.

Novos comportamentos

A pandemia de Covid-19 provocou uma crise em termos sanitários e econômicos. O cenário de incertezas fez com que o brasileiro passasse a poupar mais. De acordo com a Kantar IBOPE Media, hoje 81% das pessoas gastam dinheiro com mais cuidado do que o faziam antes da pandemia. Esse tipo de comportamento apresentou um crescimento de 32% em relação aos dados de cinco anos atrás.

Outra mudança está relacionada à aplicação do dinheiro. As poupanças não são mais o principal meio de poupar dinheiro na cabeça dos investidores. Com a digitalização dos serviços bancários e o acesso facilitado a corretoras de investimento, cresceu a quantidade de pessoas que buscam alternativas e comparam as opções disponíveis no mercado. A quantidade de pessoas que declaram sempre procurar a melhor opção em serviços e aplicações cresceu 42% nos últimos cinco anos.

Esse hábito, inclusive, é mais visível entre a Geração Y (26-40 anos), uma vez que 60% das pessoas dentro dessa faixa etária estão preocupadas com suas aplicações. A Geração X (41-60 anos) e os Baby Boomers (60-75 anos) aparecem em seguida, com 56% e 49%, respectivamente. A Geração Z (18-25 anos), por sua vez, é a menos prevenida, com 48%.

Ainda dentro deste contexto, é importante destacar que o dinheiro físico está sendo usado cada vez menos, com queda de 11% em 2020. Por outro lado, as carteiras virtuais apresentaram aumento: 4,4% dos internautas que fizeram algum pagamento, declararam ter realizado a ação por aplicativos, sendo a Geração Z a mais adepta, com 7% realizando ao menos uma compra dessa forma.

Outros fatores de impacto

Nem só dinheiro movimenta o mercado financeiro. Antes de contratar um serviço, os brasileiros levam em consideração diferentes fatores. O principal deles é o atendimento prestado. Um contato mais próximo e eficiente é importante para 54% dos entrevistados pela Kantar IBOPE Media, tendo maior peso para a Geração Z (61%).

A taxa de juros, por sua vez, ocupa a segunda posição. Um banco que pratica valores amigáveis é relevante para 42% dos brasileiros. Esse fator é observado, principalmente, pela Geração X (46%).

Ainda há outros dois pontos que pesam na escolha ao fechar um negócio financeiro: a quantidade de serviços oferecidos pela internet (15%) e a recomendação de pessoas próximas (13%). Ambos são mais observados pela Geração Z, com 23% e 24%, respectivamente.

Confira mais na edição de julho do Data Stories, disponível no site da Kantar IBOPE Media.

EMPRESAS FAMILIARES

As empresas familiares representam 90% das companhias do país, de acordo com dados do IBGE e do Sebrae, o que corresponde a 65% no PIB e cerca de 75% dos trabalhadores. Os índices de sobrevivência dessas organizações, porém, são muito menores: apenas 5% chegam à terceira geração.

É que essas companhias carregam um estigma de pouca profissionalização ou, no caso das menores, de baixa relevância. O fato é que elas não só deram origem às grandes empresas, como ainda sustentam a economia do Brasil e do mundo. 

No Brasil, muitas dessas empresas passam, nesse momento pós-pandemia, por um processo de profissionalização da gestão, com a entrada de executivos no mercado. “É um momento novo para os fundadores e acionistas, que exige tranquilidade, paciência, empatia e resiliência, tanto da família, quanto dos novos contratados”, diz a conselheira Claudia Elisa Soares, que foi mentora de diversos processos como esse. 

Ela explica que uma empresa familiar, ao longo do tempo, desenvolve códigos de conduta e laços de afetividade próprios, que têm a ver tanto com a sua história enquanto empreendimento, quanto com as trajetórias de seus fundadores e gerações subsequentes. Assim, a forma do executivo profissional se comunicar com a família não pode ser a mesma que ele usa com o mercado.

Nesse momento de mudança, mesmo com todos concordando com sua necessidade e agindo da melhor forma para que aconteça, há medo e hesitação. Há um impacto emocional. “É quase comparável àquele momento em que o filho sai de casa. Por mais que seja um processo natural e desejável, imprescindível para o amadurecimento e crescimento de ambos, é sempre doloroso”, afirma a conselheira.

Em um dos casos que acompanhou como mentora, Claudia Elisa conta que um CEO contratado por uma companhia familiar que era experiente, ousado e sabia o que era necessário fazer em termos de rituais, de gestão e de união das lideranças, teve problemas por conta de sua personalidade – mais pragmática e direta -, incompatível com a dos proprietários.

“Isso deixava tanto a família quanto os acionistas preocupados, ao mesmo tempo em que reconheciam seu valor. Era preciso encontrar a maneira certa de falar com pessoas que tinham um vínculo emocional com a empresa e manter uma relação de lealdade”, conta a conselheira. 

Em um momento crítico, o CEO pressionou os fundadores em direção a uma certa mudança estratégica. Ao se colocar desta forma, ele abalou sua confiança, demonstrando falta de empatia e de flexibilidade. Assim, eles recuaram e passaram a ser mais conservadores na aprovação de novas propostas. Só foi possível finalizar a transformação de forma bem-sucedida porque o CEO aceitou que lidar com família é diferente de lidar com o mercado: exige flexibilidade e comunicação empática.

O medo dos fundadores – geralmente inconsciente – é de que o executivo vá embora abruptamente, assim, não há porque aceitar grandes mudanças tão rapidamente. Um Conselho, constituído num momento de profissionalização, deve ser um órgão que facilite esta conexão entre o executivo e os acionistas. 

Em resumo, empresas familiares têm um mapa próprio de compreensão. Elas podem ser lugares muito bons para trabalhar e aprender, mas têm um jeito de ser que precisa ser decifrado; um ritual exclusivo, que os executivos têm de compreender. “A transformação dessas empresas demanda resiliência. Às vezes, o caminho é mais longo e tem curvas. Mas, justamente por isso, reserva boas e surpreendentes paisagens e conquistas!”, finaliza Claudia Elisa. 

CASA DO FUTURO

Como será a residência do brasileiro em 2026 e em 2031? Quais serão as prioridades? O que é apontado como principal desejo em relação à tecnologia, conforto, layout e facilidades dentro dos lares brasileiros? Essas perguntas são respondidas com dados da pesquisa Casa do Futuro, realizada pela Hibou- empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, em julho/2021, com 2.398 pessoas de todo país.

Os dados inéditos do estudo revelam que a segurança, por exemplo, é um quesito importante para os próximos cinco anos para 74,5% dos respondentes. Para 2031, o critério também é apontado por 81,3%. Ainda para os próximos dez anos, 89,2% desejam que as residências tenham fios mais protegidos e menos aparentes enquanto conectam aparelhos diversos e 65,5% pretendem ter um escritório ou espaço próprio para home-office.

“A pesquisa aponta mudanças de comportamento e consumo bem interessantes com o passar dos anos, e, vale ressaltar que a simplicidade, o conforto e a segurança do lar estão em alta entre os brasileiros. A casa do futuro reúne a comodidade de uma casa aconchegante e sustentável com as tendências tecnológicas que, em breve, farão parte da maioria dos lares do Brasil, como o painel solar e a automação residencial”, afirma Ligia Mello, responsável pela pesquisa e sócia da Hibou.
O perfil dos lares brasileiros
56,3% dos respondentes declararam morar em residências próprias e 23%, em casas alugadas. 18,1% e 2,6% vivem na residência dos pais ou imóveis emprestados, respectivamente. A longevidade da moradia é alta. 47,3% residem no mesmo endereço há mais de 10 anos; 16,9%, entre 1 e 3 anos; 14,8%, entre 5 e 10 anos; 10,6% menos de 1 ano e 10,4%, entre 3 e 5 anos.

Quando questionados sobre a intenção de compra, embora 42,4% tenham afirmado não terem planos de adquirir um imóvel, 9,3% pretendem fazer este investimento nos próximos 12 meses. 27,6% desejam comprar um imóvel nos próximos 5 anos; 20,8% têm interesse na aquisição a partir desse período.
As casas em 2021, 2026 e 2031
Sobre a intenção de consumo do brasileiro, condicionado ao movimento econômico e ao barateamento das tecnologias conforme curva de adoção e produção, foram comparados os períodos de 2021, 2026 e 2031. As porcentagens são cumulativas e alteradas com o passar dos anos. Com a possibilidade de optar por mais de uma resposta, os participantes informaram variação de comportamento para o período atual e para daqui a 5 e a 10 anos. Os temas abordados foram Tecnologia, Conforto, Layout e Facilities.
Tecnologia
No quesito Tecnologia, nos três períodos, a pesquisa da Hibou contou com respostas sobre rede elétrica ser mais eficiente para comportar maior demanda de aparelhos, além de maior segurança em relação a pisos antiderrapantes e a comodidade da automação residencial e dos assistentes de voz. Para daqui a dez anos, a segurança, para além da estética na decoração, foi escolha da maioria. 89,2% demonstrou desejo de poder conectar os aparelhos eletroeletrônicos sem que a fiação elétrica fique à mostra e 75,1% indicou pisos com antiderrapante para garantir maior segurança e conforto familiar.

Conforto
Em relação ao conforto do lar, os desejos são direcionados ao uso efetivo da casa e aprendizados provindos da pandemia, período em que notou-se a importância de ter mais espaço para as crianças brincarem e mais organização dos itens em armários. Além destes fatores, as facilidades para a limpeza e maior comodidade para receber os amigos estão entre as principais respostas dos entrevistados.

Layout
A maioria dos brasileiros prefere que haja maior circulação de ar seja atualmente, daqui a cinco ou dez anos. Na sequência, a escolha foi por ter um espaço de convivência para a família. Além disso, a luz natural, o espaço fixo para escritório e o local para guardar itens pouco utilizados também foram citados. O comportamento de higienização de sacolas, bolsas e sapatos foi mantido mesmo para os próximos anos, com o desejo de se ter uma área para higienização dos itens na entrada da residência.

Facilities
Sobre facilities, entre os primeiros lugares está ter mais segurança com o uso de diversos equipamentos, seguido por paredes que sujem menos ou sejam mais fáceis de limpar, além de melhor conforto térmico e isolamento acústico. As facilidades relacionadas à sustentabilidade como reuso de água e energia solar, foram citadas entre aquelas que poderão ser adquiridas nos próximos anos.

“Ficar em casa no período de pandemia fez o brasileiro ter descobertas importantes como o cuidado com a propagação do som – tanto o seu, quanto o do vizinho – ou as variações térmicas que eram desconhecidas antes do período de isolamento”, completa Lígia.

Metodologia pesquisa Casa do Futuro
2.398 brasileiros responderam a pesquisa de forma digital, entre 16 e 18 de julho de 2021, garantindo 95% de significância e 2% de margem de erro nos dados revelados. Entre os entrevistados, 35% têm idade entre 36 e 45 anos, 57,2% são do gênero feminino, 53,5% são casados, 34% se declararam solteiros. 30,8% afirmaram ter renda familiar entre R$3.001 e R$6.000.

UP BRASIL

A pandemia acelerou uma série de transformações que já estavam em curso :  a consolidação do modelo  híbrido de trabalho e um expressivo crescimento nas compras pela internet. Uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) constatou que 22,7% das profissões brasileiras podem ser exercidas de forma remota, o que elevaria para 20 milhões o contingente de trabalhadores em home office no país nos próximos anos. Para atender esse público, a UP Brasil (resultado da fusão da multinacional francesa de cartões de benefícios Grupo Up e as regionais Plan, Policard e Vale Mais), acaba de lançar o UP Home Office, uma solução simples, digital, sem cartão físico e sem custo para atender a necessidade de empresas de pequeno a grande porte. 

O  UP Home Office é uma  plataforma que conta com os maiores e-commerces parceiros e serviços de pagamento de contas de consumo do país. Após a adesão, o RH da empresa define o valor a ser disponibilizado para cada funcionário e faz toda a gestão com a comodidade de uma plataforma digital de fácil navegabilidade e intuitiva, otimizada para celular.  

Dinâmica 

Por meio da plataforma, o funcionário pode optar por pagar conta telefônica, internet, energia elétrica, bem como adquirir mobiliários materiais de escritório, por exemplo. “Combinamos o melhor do mundo digital, com a melhor experiência, em um único serviço que disponibiliza variedade de escolha e conforto para o funcionário e gestão simplificada para empresa”, explica a diretora de Marketing da UP Brasil, Tais Lange.   Ainda de acordo com Tais, a solução vem ao encontro do propósito de inovar e atender aos novos comportamentos de consumo e trabalho. “A ideia é atender as demandas dos clientes de uma forma cada vez mais ampla, inovadora e digital, facilitando a vida dos gestores de recursos humanos e trazendo benefícios aos colaboradores de suas empresas”, enfatiza. 

LEIA MAIS

Destaque: EY Future Consumer Index

Especial: CENP aprimora ranking regional de agências

Artigos: José Maurício Pires Alves, Claudio Melo e Marc Kaplan

Charge: Confira a charge do criativo Cado Bottega

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *