NOTAS DA SEMANA 04-12-2020

FINALISTAS SALÃO ARP 2020

O Salão ARP 2020 já possui os finalistas dessa edição. Nesse ano, o tradicional evento que reconhece os destaques da indústria criativa e da comunicação do Rio Grande do Sul, realizada pela Associação Riograndense de Propaganda (ARP), acontecerá em formato phygital. A mudança foi necessária devido ao atual cenário de pandemia da Covid-19.

Nessa edição, foram criadas duas verticais de premiação: ReinventARP e ConectARP. Na primeira, o foco é reconhecer projetos de reinvenção de negócios durante a pandemia e na segunda, conectar pequenos negócios locais impactados pela situação atual com profissionais de marketing e comunicação.

Para escolher os finalistas (confira a lista abaixo), foram convidados profissionais do meio da comunicação a nível nacional e representantes de grupos e entidades do mercado. A partir de agora, a escolha dos vencedores é inteiramente dos sócios da ARP, que devem votar nos seus favoritos a partir dessa quinta-feira, dia 03, até a meia noite de domingo, 06.

Para participar das escolhas, os sócios receberão por e-mail dados de acesso. O evento acontece no dia 8 de dezembro, a partir das 20h, direto no canal de YouTube da ARP. Mais informações podem ser obtidas no http://salao.arpnet.com.br/ ou direto com a entidade pelo arp@arpnet.com.br, (51) 9 9872-5567 ou pelas redes sociais.

ARP ACADEMY – Durante o Salão ARP também é conhecido o vencedor ou vencedores do ARP Academy, premiação destinada a estudantes de Comunicação Social Publicidade e Propaganda. Os três melhores projetos desenvolvidos pelos candidatos – que serão conhecidos nessa sexta-feira, 04 – serão avaliados pelo parceiro desse ano, a SOS Mata Atlântida. O escolhido será aclamado “Estudante do Ano de 2020”.

REIVENTARP – FINALISTAS                    

Categoria Comunicação

Grupo RBS – Debate Drive-In

Grupo Imobi – Outubro Rosa. Não vamos deixar passar em branco.

DZ Estudio – Brothers in Arms

Categoria Ensino

ESPM Porto Alegre – Antes que tudo pare – um case sobre reinvenção

BPassion – Anna’Juda

Critério – Resultado em Opinião Pública – Ensino e comunicação em tempos de pandemia

Categoria Serviços

HOC – House of Creativity – Pulos do Bem

DZ Estúdio – Ainá pela janela

Loop Discos – Festival Isolamento Acústico

Categoria Varejo

DZ Estúdio – Cuide do Pequeno Negócio

DZ Estúdio – Compre Pelo Whats

AsPatrícias – Liderança é Palavra Feminina

Categoria Indústria

STIHL Latam – STIHL Latam: A força para seguir adiante

BriviaDez – Assintecal – Inspiramais Digital 2020

DZ Estúdio – Lançamento 2.0           

CONECTARP – FINALISTAS   

Categoria Serviços

Café do Porto

Carol Ojeda Design Gráfico

Corpo e Fala

Categoria Varejo

Femo Bene Alimento e Bebidas

Ishtar

Amor Maior

PODCAST DA COLUNA DO NENÊ

O segundo episódio da segunda temporada do Podcast da Coluna do Nenê já foi ao ar nessa quinta-feira (3) e contou com a entrevista exclusiva de Fabiana Londero, Head de Marketing da Lojas Lebes.

PARAR POR QUE? POR QUE PARAR?…

Os Shoppings se preparam com todos os protocolos de saúde com Investimentos altíssimos.

As lojas obedecendo em tudo e zelando muito por seus funcionários e clientes.

O Opinião abriu com uma segurança a custo de um grande cache de show internacional.

Então, quem obedece e acabou acatando todas as medidas é penalizado.

Faz eleições com mais de 800 candidatos a vereador que varreram essa cidade com festinhas e comilanças. Onze candidatos a prefeito que promoveram encontros, passeatas e carreatas.

Candidatos vencedores que comemoraram e fizeram churrascadas e comícios.

Tudo isso foi visto e aceito com louvor.

Isso na cidade de Porto Alegre, imaginem em todos os municípios de segundo turno e as centenas de primeiro turno.

PROTOCOLO

FMP Fundação Escola Superior do Ministério Público através do seu CEO – Chief Executive Officer  resolveu, a despeito do momento que estamos passando do COVID 19 onde o RS passou a ficar na cor vermelha e algumas restrições mais rígidas foram adotadas, que manterá todos os seus contratos de mídia com os veículos contratados.

PUBLICITÁRIOS

Os publicitários que desempenharam com dedicação e competência as campanhas politicas merecem aqui os comprimentos dessa coluna, pois no somatório dos resultados foram como sempre ganhadores e perdedores. Zeca, Fábio, Maicon, Adriano, Tânia, Fuscaldo e Tadeu (são os meus conhecidos). PARABÉNS!

FEEVALE

O reitor da Universidade Feevale, Cleber Prodanov, será o palestrante convidado do Prato Principal de dezembro, realizado pela Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI-NH/CB/EV). O evento, que acontecerá no dia 17, a partir das 11h30min, na Sociedade Ginástica Novo Hamburgo (Rua Castro Alves, 166), será híbrido.   
Devido às restrições impostas pela bandeira do município, apenas um terço da capacidade do Restaurante dos Espelhos poderá ser ocupada pelos participantes interessados em participar da reunião-almoço. Os associados poderão assisti-la pelo YouTube, de forma gratuita. Prodanov falará sobre as mudanças no panorama educacional, os novos paradigmas de formação e os desafios da Instituição. 
As inscrições devem ser feitas pelo site www.acinh.com.br. Mais informações, como valor do investimento, por exemplo, podem ser obtidas pelo telefone (51) 2108-2108 ou pelo e-mail capacitacao@acinh.com.br

CDL POA

A CDL Porto Alegre fechou parceria com a agência Bristô para a realização do planejamento e do posicionamento da marca e campanha do Liquida Porto Alegre 2021. O gestor da Marketing da Entidade, Rafael Guerra, destaca que a tradicional liquidação, realizada sempre em fevereiro, completará 25 anos em 2021.  

Para um marco tão especial, durante todo este ano, a CDL POA ouviu os anseios de consumidores e lojistas para lançarem um Liquida diferente, que atenderá às demandas de transformação deste novo momento vivido pelo varejo, em todo o mundo. “O Liquida desse ano tem um grande desafio, já que 2020 foi um ano cheio de promoções por conta da pandemia”, destaca a sócia-diretora da agência Bistrô, Fernanda Aldabe.  

Em 2020, a Bistrô é a terceira agência com a qual a CDL POA realiza parceria. A Global Ad assinou a campanha de 60 anos, e a Duo, agência de Caxias do Sul especializada em marketing 360°, atualmente é responsável pelas estratégias de inbound marketing da Entidade. 

IMPORTANTE

A BriviaDez NÃO possui mais escritório físico em Porto Alegre.

Toda a qualquer documentação física devem ser enviada para a Sede de NH.

BriviaDez

Rua Ouro Preto 11 – Vila Nova – Novo Hamburgo/RS

CEP: 93525-170

“Não temos recepção nem malote na Sete de Setembro. Por favor, excluam o endereço do cadastro”.

BRASIL URGENTE

Dezembro é um mês especial para o Grupo Bandeirantes no Rio Grande do Sul. Há um ano a emissora abria mais um espaço para as informações do Estado. “É a marca da Band olhar para o seu público, o telespectador, gerar notícias que impactem a vida dos gaúchos. “, afirma Leonardo Meneghetti, diretor-gera da BandRS. Rogério Forcolen também está completando um ano na Band e, além do Brasil Urgente de segunda a sexta às 16 horas, também apresenta o RS Urgente às 13h30min. “Uma satisfação muito grande estar em um Grupo que valoriza a prestação de serviço, tudo aquilo que mexe com a vida de quem está do outro lado das câmeras. A gente celebra esse um ano com toda a equipe e com nossos parceiros comerciais que nos dão a certeza do sucesso desses programas.”, diz Rogério Forcolen, apresentador. 

Com sete horas e meia semanais no ar, os programas RS Urgente e Brasil Urgente são espaços para debater temas das cidades, trazer o que acontece no momento, as ações da polícia no combate ao crime e também aquilo que é notícia em todo o mundo. A apresentação é de Rogério Forcolen, a edição e coordenação de programa no ar de Matheus Suminski, produção de Brenda Aurélio, apoio na produção de Matheus Bitencourt, reportagens de Evandro Hazzi e Rogério Aguiar. A edição de imagens é de Jean Grellert, Márcio Mazzei e Claudia Azevedo.  A gerência de Jornalismo de Ciça Kramer.

SETOR CRIATIVO

Em áreas mais criativas, a cocriação de valor com o cliente – ou seja, quando o cliente trabalha junto com o setor criativo –, embora possa gerar sua satisfação, pode prejudicar o retorno financeiro. É isso que conclui o artigo The Moderating Role of Creativity in the Relation Between Collaboration and Performance, do Mestrado Acadêmico em Administração e do Mestrado Profissional em Indústria Criativa da Universidade Feevale. Escrito pelos professores Serje Schmidt, Dusan Schreiber, Cristiano Max Pereira Pinheiro e Maria Cristina Bohnenberger, o estudo foi publicado no International Journal of Innovation Management. 
De acordo com o líder da pesquisa, professor Serje Schmidt, o objetivo foi verificar se a cocriação de valor com o cliente, na indústria criativa, teria resultados positivos ou negativos. “Em outros mercados, estudos mostram que essa prática é uma potencial fonte de inovação, gerando uma melhor aceitação dos produtos e, consequentemente, melhor desempenho das empresas”, explica. “Nosso intuito foi avaliar até que ponto artistas, artesãos, músicos, fotógrafos e outros profissionais criativos se beneficiam da interação com seus clientes para gerar valor compartilhado”, relata o pesquisador. 
Para isso, foi feito um estudo com mais de 1.100 alunos da Universidade Feevale, que, após responderam a um questionário on-line, foram separados em grupos de profissionais mais criativos e menos criativos. Os resultados mostraram que, de fato, em profissões menos criativas a cocriação de valor impacta na satisfação dos clientes e gera um trabalho mais criativo. Entretanto, em profissões mais criativas, embora a satisfação do cliente também aumente, a resultado financeiro fica prejudicado. “Provavelmente, nesses casos, o cliente acaba impondo a sua visão e prejudicando a criatividade”, avalia Serje. 
A pesquisa completa, em inglês, pode ser acessada no link: https://bit.ly/396V6wr

LOJAS LEBES 

Com o mote “NatalzãoLebes – Acredite nos seus Sonhos”, a mensagem de fim de ano da rede de varejo Lojas Lebes é de renovação da esperança e dos sonhos de cada um. 

Depois de um ano difícil, de incertezas e preocupações, a empresa lança, neste Natal, um filme emocionante que incentiva os gaúchos a resgatarem seus desejos.

O comercial, criado internamente pelo departamento de Marketing e produzido pela Mythago Produções, será o primeiro filme institucional de Natal da Lebes a ser veiculado nas principais emissoras de televisão do Estado. Além disso, a campanha se estende também nas redes sociais da empresa, rádio, jornal, e-commerce e todas as mais de 160 lojas físicas da rede.   

Ainda como desdobramento da ação de final de ano, a rede faz um convite para que colaboradores, influenciadores e clientes compartilhem os seus sonhos pelas redes sociais. 

Mas as novidades do Natal Lebes não param por aí. A empresa vai dar uma forcinha para que os desejos dos clientes se realizem. Para isso, foi lançada a campanha promocional “Mesada dos Sonhos”. São cinco sorteios de mesadas no valor de R$ 1.000,00 mensais, durante todo o ano de 2021. Para participar é muito fácil: cada R$ 200,00 em compras nos setores de moda ou móveis, vale um número da sorte. Clientes que comprarem pelo Crediário da Lebes, recebem três números. Consulte regulamento no site www.lebes.com.br/regulamentos

E tem mais! Por trás desta promoção, há uma ação solidária: serão cinco entidades carentes premiadas, com uma doação de roupas e alimentos no valor de R$10.000,00 para cada. As instituições serão sugeridas pelos vencedores da promoção.

A grande campanha “NatalzãoLebes – Acredite nos seus Sonhos” já está no ar e vai até o fim do mês.

Vídeo Teaser da campanha:

https://www.instagram.com/p/CIO5HMtH9Mt/

https://www.facebook.com/lojaslebes/posts/4257735400920678

GRUPO RBS

A iniciativa que, desde 2016, já beneficiou aproximadamente 15 mil pessoas em ações sociais realizados no Estado, apoiará sete novos projetos este ano. Nesta terça-feira (1º), o Grupo RBS e a Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho (FMSS) anunciaram os contemplados no Editais 2020, projeto voltado para ações que contribuam para a transformação da sociedade. Ao todo, serão destinados cerca de R$ 100 mil por meio de leis de incentivo fiscais, dentro das áreas de cultura, esporte e apoio a crianças e adolescentes.  

Na área de cultura, foram escolhidos a iniciativa Amigos da Casa da Música Porto Alegre, que consiste na formação e manutenção da Orquestra Jovem AACAMUS, contemplada com R$ 17,7 mil; a Associação Sol Maior, com um aporte de R$ 14,5 mil, cuja proposta é atender crianças e adolescentes estudantes de escolas públicas da Capital, com aulas de música, dança e canto; o projeto A Arte de Pertencer, do Clube Social Pertence, que oferece aulas de dança, teatro e música e proporciona experiências de integração a pessoas com deficiência intelectual, contemplado com R$ 15 mil; e o Doutorzinhos, ação que promove intervenções artísticas em hospitais da Capital e que recebeu R$ 20 mil.  

Na categoria Funcriança, o projeto Esporte Clube Cidadão: Gastronomia, desenvolvido pela unidade Restinga da Associação Cristã de Moços (ACM), foi selecionado. A inciativa busca promover a conscientização sobre o uso e o descarte correto dos alimentos e ofertar qualificação profissional para jovens de baixa renda. Com a seleção, o projeto recebe um incentivo financeiro no valor de R$ 17,7 mil.  

Pela Lei de Incentivo ao Esporte foram beneficiados o projeto Pé na Tábua, da Associação Esportiva e Cultural Pró-Esporte, que busca incentivar e estimular o desenvolvimento intelectual, social e motor por meio da prática esportiva do Skate, e o Primeiro Saque, da Associação Amigos do Tênis, Assistência Social, Educação e Cultura para Crianças e Adolescentes (ATTECA), de Canoas, que oferece aos atendidos aulas de tênis, judô, futebol e natação, entre outras modalidades. Os projetos receberão um repasse de R$10 mil e de R$ 7,7 mil, respectivamente.  

Em seu quinto ano consecutivo, a seleção teve início no dia 28 de setembro, com o lançamento do edital. Em 2020, a iniciativa somou 53 inscrições válidas e, após a avaliação de documentos e análise com base em critérios como inovação, relevância e originalidade, foram definidos os finalistas.

Os valores disponíveis para cada modalidade foram distribuídos entre os projetos de acordo com a solicitação durante a inscrição, levando em conta a viabilidade de execução e a possibilidade de alcançar o maior número possível de beneficiados. Os recursos serão repassados ainda em 2020. 

O Grupo RBS, por meio da FMSS, tem esta como uma de suas principais ações sociais, apoiando e financiando iniciativas que hoje mostram trabalhos relevantes e necessários a garantia de direitos fundamentais e de transformação social no Rio Grande do Sul.  

FENAPRÓUNIVERSITÁRIO

A FENAPRO (Federação Nacional das Agências de Propaganda) anunciou nessa quarta-feira (02/12) o resultado do concurso FenapróUniversitário 2020, que elegeu a melhor campanha com o tema “Publicidade: qual é o futuro do mercado de trabalho?”,criada por universitários matriculados em cursos de publicidade e propaganda de todo o País. O concurso recebeu 69 inscrições de 11 estados e contou com a participação de 138 estudantes.

A campanha “O futuro da publicidade não é só olhar pra frente. É olhar pro lado”, dos estudantes Maria Clara Sales e Vitor Maurílio Freire da Silva, da Universidade de Brasília (UNB), foi a grande vencedora. A dupla teve como orientadora a professora Isabela Lara Oliveira.

Na avaliação de Alexis Pagliarini, presidente executivo da Associação de Marketing Promocional (Ampro) e integrante da comissão julgadora, a campanha retrata um futuro que deve ser visto de maneira abrangente e respeitosa. “A harmonia do layout e o texto primoroso retrataram muito bem o que eu chamo de ‘a era da empatia’. Devemos sempre estar com os olhos no futuro, mas nunca nos esquecer de olhar para o que nos cerca”, diz.

Para Humberto Mendes, fundador do FenapróUniversitário e integrante da comissão julgadora, a ousadia do layout foi um dos pontos fortes da campanha. “Gostei muito da proposta de um olhar holístico para o mundo, agregando um layout que remete ao Pequeno Príncipe”.
Na segunda posição ficou a campanha “Mais que criatives: ativistas”, da dupla Sabrina Rycheta e Alexandre de Moura, da Universidade Positivo, de Curitiba (PR). A orientação do trabalho foi professor André Tezza Consentino.
A terceira posição foi da campanha “O futuro em nossas mãos”, de Marco Vinícius Figueira e Pedro Museka, da Uniasselvi, de Blumenau (SC). A dupla teve como orientador o professor Diego Casas.
O FenapróUniversitário é uma iniciativa da FENAPRO, em parceria com Sinapros (Sindicatos das Agências de Propaganda), e tem o propósito de descobrir e dar oportunidade aos talentos que ainda estão nas universidades e valorizar os profissionais da propaganda.

Composta por um anúncio de jornal no formato de ¼ de página, um cartaz no formato 21cm X 28cm e um spot de rádio com a duração de 30 segundos, a campanha será produzida pela Fenapro e veiculada no 04 de dezembro, data em que se comemora o Dia Mundial da Propaganda.

A dupla vencedora, além de ter a campanha produzida e veiculada, receberá como prêmio um Macbook Air (cada), e o professor orientador ganhará um Ipad. Todos os participantes ganharão também um ano de licença de uso do Adobe Creative Cloud.

As campanhas foram analisadas por uma Comissão Julgadora constituída por Alexis Pagliarini, presidente executivo da Associação de Marketing Promocional (Ampro), Humberto Mendes, fundador do fundador do FenapróUniversitário e Marcelo, Executivo da Fenapro.

BANCAS DIGITAIS

 O Canal Você, plataforma digital que reúne monitores em diversos ambientes de grande fluxo de pessoas, como Trens e estações da Trensurb, ônibus, rodoviária e catamarã, lança no mercado de Porto Alegre a primeira fase do seu circuito de bancas digitais. São 10 faces digitais distribuídas em 9 bairros. Na segunda fase serão mais 20 faces a serem digitalizadas, contemplando 30 faces, criando uma cobertura em toda a cidade.

Com anúncios estáticos ou animados, as bancas terão muito mais flexibilidade e agilidade nas trocas de materiais dos clientes. O Canal Você desenvolveu este projeto em parceria com a empresa paulista THELED, líder nacional em painéis digitais. “Seguindo as tendências mundiais de Ooh, estamos muito felizes com essa realização, poder disponibilizar ao mercado gaúcho o que há de mais moderno e com tecnologia de ponta em um canal com alta visibilidade como nossos mobiliários urbanos”, explica Régis Dubin, VP da empresa.

APPCAST

O isolamento social imposto pela pandemia do novo Coronavírus impulsionou o comércio eletrônico ao redor do mundo. Sem poder sair de casa, as pessoas precisaram mudar seus hábitos de consumo, e as compras pela internet ganharam força como nunca. No Brasil, o varejo está no mesmo caminho e tem avançado, ao longo das últimas décadas, em um esforço contínuo na criação de novos negócios e na conquista do consumidor. Tema: Varejo On e OFF, presente e futuro Convidados: · Luiza Scaglioni – CEO – Outlet Enxoval · Helenice Moura – Presidente Regional do Comitê de Líderes do E-commerce e Diretora Fundadora da Liga Digital · Alan Barros – CEO da Pullse · Leandro Rampazzo – CEO da Godiva Propaganda Apresentação: Alexandre Luppi APPCasters: Zé Maurício, Silvio Soledade e Adão Casares Produção, montagem e distribuição: Equipe Compasso Coolab

GLOBO

Em que pesem os tempos difíceis que vêm passando a economia nacional e a perda da Libertadores para o SBT, a Globo fechou nesta semana a venda das seis principais cotas de patrocínio de seu projeto de transmissões de futebol para 2021, assegurando uma receita bruta de quase R$ 1,9 bilhão. Na última quarta (25), o Grupo Petrópolis, fabricante da cerveja Itaipava, comprou a cota que nas últimas duas décadas pertenceu à Ambev, uma das maiores cervejarias do mundo.

A Ambev já havia anunciado que não renovaria com a Globo e disse no início do mês que procura “novas formas de falar com os seus consumidores”. Foi apurado que a multinacional belga-brasileira fez uma oferta considerada muito baixa pela Globo, que pede R$ 311,7 milhões por cota nacional, apenas R$ 4 milhões a mais que em 2020.

Casas Bahia, Vivo, Itaú e General Motors foram os primeiros a renovar com a Globo. A Hypera, da Neo Química, parceira do Corinthians, também endureceu a negociação, mas acabou cedendo e fechou sua participação no maior projeto publicitário do país, cobiçado por anunciantes por sua rentabilidade.

O pacote de futebol nacional da Globo prevê a transmissão de 63 jogos ao vivo na TV aberta, 22 a menos do que em 2020. Como o Campeonato Brasileiro deste ano só termina em fevereiro, o pacote de 2021 só começa a ser entregue em março (e não em janeiro).

Para compensar a falta da Libertadores e campeonatos estaduais mais curtos, a rede vai ampliar a exposição das marcas patrocinadoras do futebol ao longo de sua programação, com inserts em telejornais, novelas e séries.

O plano comercial também dá mais peso à entrega de propaganda nos produtos digitais do grupo Globo (portais G1, GE) e um maior envolvimento com o conteúdo, com mais ações de merchandising com o elenco esportivo e novas interações ao longo das partidas. As marcas também estarão na Central do Apito e Central de Estatísticas.

As receitas da Globo com o futebol não se limitam às principais cotas de patrocínio do maior pacote de transmissões. A emissora ainda negocia seis cotas para os jogos da Seleção Brasileira, que disputa as Eliminatórias para a Copa de 2022.

Dos patrocinadores do pacote nacional, só GM e Itaipava não fecharam o patrocínio também da seleção e podem ser substituídos por concorrentes. Cada cota custa R$ 90 milhões.

A emissora também oferece seis cotas para as transmissões na TV paga (SporTV e Premiere), a R$ 123 milhões cada uma. Vivo, Bradesco, Fiat e Sportingbet já renovaram.

Também estão no mercado formatos menos dispendiosos, como o patrocínio da vinheta top de cinco segundos, que antecede as transmissões, e cotas de participação, nas quais os anunciantes têm direito a um comercial de 30 segundos nos intervalos das partidas.

Só com as cotas de patrocínio do Futebol Nacional, Seleção/Eliminatórias e TV Paga, a Globo terá uma receita bruta de R$ 3,148 bilhões. Se vender tudo, terá mais êxito do que na negociação do futebol de 2020, fechada em outubro do ano passado, em um ambiente bem mais favorável que o atual.

O sucesso da comercialização do pacote de futebol nacional de 2021 mostra que a Globo está driblando no mercado publicitário os efeitos adversos da perda de torneios, em um momento em que questiona os altos valores de direitos esportivos.

Além da Libertadores, pela qual se recusa a pagar US$ 60 milhões anuais, a emissora questiona na Justiça da Suíça o contrato com a Fifa que inclui os direitos da próxima Copa do Mundo, no Qatar. Em junho, deixou de pagar à entidade máxima do futebol uma parcela anual de US$ 90 milhões (mais de R$ 480 milhões). Pela primeira vez desde os anos 1970, a maior rede do país corre sério risco de não transmitir uma Copa do Mundo.

Também em 2021, a Globo pode quebrar outra tradição, a das transmissões de corridas de Fórmula 1. A emissora se recusou a renovar contrato para forçar a revisão dos valores sobre os direitos.

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo), no entanto, procurou a Globo e está tentando viabilizar um novo modelo de parceria, devido à relevância da emissora para a audiência global da categoria. A rede brasileira responde por aproximadamente um quarto de toda a audiência do esporte no mundo todo.

A Globo passa por um momento delicado. Além da pandemia, que a obrigou a reprisar novelas, passa por um processo interno de reestruturação que deve resultar em mais de 2.500 demissões. Nas duas últimas semanas, anunciou importantes mudanças, como as saídas do diretor-geral Carlos Henrique Schroder e do diretor de Dramaturgia, Silvio de Abreu.

HOME OFFICE

transição para um trabalho mais flexível durante a crise de saúde pode, a longo prazo, ajudar a reduzir a desigualdade de gênero no setor de serviços financeiros, um dos poucos pontos positivos em uma pandemia que afeta desproporcionalmente as perspectivas de emprego para mulheres.

O trabalho remoto estimulou uma mudança de percepção de quais funções podem ser desempenhadas com flexibilidade, segundo relatório encomendado pela rede Women in Banking & Finance. Uma maior aceitação de tais práticas pode ajudar a manter o emprego de mulheres, que muitas vezes são as principais cuidadoras e dependem mais da flexibilidade para permanecer no setor.

“Sem essa mudança de narrativa, as mulheres que aceitam trabalho flexível sempre terão maior probabilidade de serem vistas como tendo menor apego ao mercado de trabalho”, disse no relatório Grace Lordan, professora associada em ciências comportamentais da London School of Economics. “Como as mulheres enfrentam mais restrições do que os homens, é mais provável que a falta de flexibilidade faça com que as mulheres saiam.”

Cerca de 93% das mulheres e 94% dos homens que atualmente trabalham no setor agora dizem que podem desempenhar suas tarefas com flexibilidade, em comparação com cerca de 75% das mulheres e metade dos homens que antes trabalhavam no segmento, segundo pesquisa com 1.703 pessoas.

A pandemia colocou mulheres e outros grupos sub-representados em maior risco de retrocessos na carreira e desemprego, porque respondem pela maior parte dos empregos prejudicados por lockdowns e outras restrições. As mulheres também eram mais propensas a deixar o emprego para cuidar dos filhos por causa de fechamentos de escolas ou falta de creches.

Os resultados são parte de uma iniciativa para apoiar e preservar o emprego de mulheres que trabalham em serviços financeiros, setor que mostra desigualdade de gênero duradoura e persistente. O relatório, que é patrocinado por bancos como Citigroup e Barclays, também revelou que mais mulheres aspiravam a uma liderança sênior do que os homens, mas 79% delas disseram ter enfrentado barreiras em suas aspirações de carreira, em comparação com 58% dos homens.

EM CAMPO

O time está formado! Entram em campo Avon, Banco BMG, Burger King, Consul, ESPN, GOL, Halls, LAY’S, Puma e Vivo que juntos com Guaraná Antarctica formam a seleção de marcas que irá apoiar o futebol feminino. Além do incentivo ao crescimento da modalidade, as marcas terão seus logos impressos em mais de 30 milhões de latinhas de Guaraná que irão circular em todo o país a partir de 2021.
O resultado dessa iniciativa irá colaborar diretamente na formação do esporte feminino com o projeto Em Campo. Criado em 2016, oferece treinos de futebol e já atendeu mais de 200 atletas, sendo que 40 delas foram selecionadas para jogar em equipes profissionais. “Com o apoio, iremos ampliando a estrutura física, expandindo a equipe profissional, fortalecendo a metodologia e aumentando a capacidade do projeto para atender mais atletas”, explica Sandra Santos, Coordenadora e Coach Esportiva do Em Campo.
“Mais de 100 marcas preencheram o nosso questionário com o interesse de aderir ao projeto, um resultado incrível. Estamos felizes por chamar a atenção de tantas empresas para o esporte feminino e trazer novas perspectivas para as atletas”, explica Julia Chieppe, marketing de Guaraná Antarctica. “Sabemos da importância da modalidade no País e de como o esporte pode ser transformador. Essa é uma história que começamos a construir lá trás, mas que ainda tem um logo caminho para percorrer”, conclui Julia.
“Nós da Avon temos um compromisso de promover o protagonismo das mulheres, que significa amplificar o poder de escolha e oportunidade de crescimento de cada uma, para que elas possam estar onde quiserem, inclusive no futebol. Tendo em vista o nosso histórico de apoio ao esporte feminino, faz todo sentido nos aliarmos a essa iniciativa, reafirmando nossa missão de apoiar cada mulher para impulsionar conquistas que sejam coletivas.”, diz Viviane Pepe, diretora de comunicação da Avon
Segundo Ana Karina Bortoni Dias, CEO do BMG, apoiar e incentivar o futebol feminino é um grande passo na luta a favor da equidade de gênero no esporte. “A parceria com Guaraná Antárctica vem pra coroar todo o trabalho que já temos feito em apoiar mulheres talentosas”, explica Ana.
“Nosso objetivo nessa parceria é aumentar a visibilidade das mulheres no futebol, mais que incentivo, a representatividade também é essencial: quanto mais mulheres profissionais, mais meninas verão que o esporte é um caminho possível”, afirma Thais Souza Nicolau, diretora de marca do Burger King no Brasil.
“A Consul acredita na força das mulheres e que quando se investe em uma mulher, ela investe em outra, que investe em outra, gerando uma corrente positiva de empoderamento feminino. O futebol tem um papel muito importante no Brasil e investir em mulheres no futebol é um grande passo para uma sociedade mais diversa e justa”, explica Allyne Magnoli, Diretora de Marketing da Consul.
“É motivo de muito orgulho para a ESPN fazer parte de mais uma iniciativa de incentivo ao futebol feminino. Temos transmitido cada vez mais campeonatos femininos e acreditamos que este tipo de projeto é fundamental para ampliar o número de mulheres que praticam e consomem esporte no Brasil”, destaca Claudia Neufeld, Vice-Presidente de Marketing da Disney, marca detentora da ESPN.
“A GOL se orgulha de “Ser a Primeira Para Todos” e, justamente por isso, de apoiar um projeto tão importante como o Em Campo. É uma forma de a Companhia contribuir para o fortalecimento do futebol feminino no Brasil”, diz Loraine Ricino, diretora de Marketing, Comunicação Externa, Canais Digitais e Sustentabilidade da GOL.
Segundo Anna Carolina Teixeira, Diretora de Balas e Gomas da Mondelēz Brasil, Halls está de olho em ações que respeitam e valorizam atletas, em especial o futebol feminino. “Considero o esporte um meio de transformação social, especialmente para meninas e mulheres. A modalidade também tem total sinergia com Halls, que fala sobre superar desafios. Entrar nesse universo é mais uma forma de traduzir genuinamente o nosso posicionamento de Respirar Fundo para superar os obstáculos do dia a dia”, conclui Anna.
“Essa parceria fortalece o compromisso de LAY’S com a busca pela igualdade de gênero, dentro e fora dos campos. Já possuímos um histórico de apoio ao futebol feminino, sendo inclusive patrocinadores da UEFA Women’s Champions League, mas sabemos da longa jornada pela frente. São iniciativas como essa que dão visibilidade para as mulheres na modalidade”, conta Cintia Spielmann, gerente de Marketing da PepsiCo no Brasil.
“A PUMA trabalha por uma mudança estrutural nas bases do futebol feminino, o que significa que mais meninas e mulheres tenham acesso ao esporte desde cedo e que haja uma valorização da modalidade por toda sociedade brasileira. É por isso que estamos felizes em participar da ação junto a Guaraná Antártica e tantas outras marcas importantes do cenário nacional e plantar mais essa sementinha pelo futuro da modalidade”, Rubia Dalla Pria, coordenadora de projetos femininos na PUMA Brasil.
“Nós temos muito orgulho em patrocinar a Seleção Brasileira de Futebol Feminino, Masculino e categorias de base desde 2005. O futebol é o esporte mais democrático e presente no cotidiano dos brasileiros. Somos uma marca que acredita na diversidade e ações como essa são essenciais para dar visibilidade ao esporte feminino.”, diz Marina Daineze, diretora de Imagem e comunicação da Vivo
A campanha tem assinatura da agência SOKO. “Mais de 100 marcas nos procuraram e boa parte desse resultado deve-se à estratégia de Dark Social que costuramos por trás da campanha. Conseguimos que fãs de futebol se unissem para transformar esse esporte e convocassem empresas e amigos a Apoiarem o Fut Feminino”, diz Isabela Marangoni, da SOKO.
Como apoiadora do esporte e patrocinadora da seleção feminina há 19 anos, Guaraná Antarctica tem feito várias ações para incentivar outras empresas a apoiarem a modalidade. Recentemente utilizou o seu espaço publicitário e instalou placas no gramado do Brasileirão Feminino A1 para chamar atenção para a causa e mostrar que o futebol feminino vai muito além das competições mundiais. Essa é mais uma iniciativa que dá continuidade ao compromisso com o esporte, que teve como marco o movimento Futebol Feminino é Coisa Nossa, durante a Copa do Mundo Feminina de 2019.
MÍDIA

Os dados do Cenp-Meios, monitoramento realizado junto às maiores agências de publicidade do País pelo Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp), totalizaram R$ 8,9 bilhões em compra de mídia no período de janeiro a setembro de 2020, montante que passou pelas 217 agências certificadas que enviaram dados consolidados no período. O resultado é 29% menor que o aferido no mesmo período de 2019, quando 226 agências reportaram suas informações, sem considerar a inflação do período.

É importante ressaltar, que os valores somados pelo Cenp-Meios não representam o total do bolo publicitário brasileiro, pois incluem a movimentação financeira destinada à veiculação de publicidade que passa pelas agências certificadas pelo Cenp e participantes do projeto.

O reflexo da crise causada pelo combate à Covid-19 foi sentido desde a primeira divulgação do Cenp-Meios em 2020, relativa ao primeiro trimestre. Os números divulgados anteriormente mostraram queda de 22,3% no período de janeiro a março na compra de mídia que passou pelas 209 agências monitoradas, na comparação com o mesmo período de 2019, quando 214 empresas enviaram informações ao levantamento. O consolidado do primeiro semestre fez a retração subir para 30%, na comparação do reporte das 213 agências que enviaram dados do período de janeiro a junho de 2020 com as 218 que o fizeram nos primeiros seis meses de 2019.

Considerando os dados de janeiro a setembro de 2020, todos os oito meios monitorados apresentaram queda na comparação ao mesmo período do ano passado. Internet (-17%) e TV aberta (-27%) foram os meios que registraram as menores retrações. Os comportamentos nos demais meios foram: Cinema (-71%), Revista (-54%), Jornal (-47%), OOH (-44%), TV por assinatura (-39%) e Rádio (-30%).

Em termos de share, a participação da TV aberta cresceu de 53% para 54,1% do bolo. E a da internet subiu de 20,7% para 24,3%. Por outro lado, a mídia OOH caiu de 10,7% para 8,4% do total. E a TV por assinatura também recuou seu share de 7% para 5,9%.

No consolidado de 2019, que levou em conta dados de 226 agências de todo o País, as veiculações nacionais (que consideram as praças de abrangência de cada veículo e, necessariamente, mais de um estado) respondem por 62,4% do investimento total deste grupo monitorado, que foi de R$ 17,5 bilhões. Os estados mais fortes em veiculações regionais foram São Paulo (15,2%), Rio de Janeiro (5,7%), Minas Gerais (2,5%), Rio Grande do Sul (2,1%), Bahia (1,9%) e Paraná (1,8%). 

INOVAÇÃO

Aumentar a demanda por projetos de inovação nos próximos seis meses é a intenção de 72,9% das empresas ouvidas pelo Radar da Inovação Aberta, estudo inédito realizado pela aceleradora de inovação corporativa Worth a Million (www.wam106.com) em parceria com a Análise Econômica Consultoria (www.analiseeconomica.com.br).

O estudo também mediu como a expectativa de investimentos em inovação afetam diretamente na geração de postos de trabalho. Para 42,3% das organizações, há a previsão de novas contratações, e 42,4% acredita numa instabilidade no quadro de funcionários em setores de inovação. 

Para Valentim Biazotti, fundador da Worth a Million, a proximidade entre estabilidade e novas contratações mostra o caminho de retomada econômica. “Entre os seus diagnósticos, este estudo identifica como está a recuperação das empresas e, principalmente, como a inovação está envolvida nesse processo. Falar de estabilidade dos empregos e novas oportunidades é surpreendente, considerando a crise em que o país e o mundo vêm enfrentando nos últimos meses”, pontua.

“Apesar da insegurança atual, há expectativas otimistas para os próximos meses”, complementa André Galhardo, economista-chefe da Análise Econômica Consultoria. “Neste primeiro resultado, percebemos as entidades confiantes em um crescimento cauteloso, um reflexo ainda da instabilidade econômica que chegou com a pandemia do coronavírus”.

Entre as startups ouvidas pelo Radar da Inovação Aberta, 77,9% prevê o aumento na demanda por projetos de inovação de grandes empresas. Em setembro, o número de empresas que declaram que fizeram mais projetos com startups aumentou para 46,3% e se manteve estável para 39%.

“Parcerias entre grandes empresas e startups geram transformações nos processos e nas pessoas envolvidas. E, quando o tema é inovação, há grande otimismo quanto ao futuro”, afirma Biazotti. “O índice de confiança em inovação aberta das startups é alto, de 66,6 pontos”, complementa Galhardo.

Metodologia

A pesquisa foi realizada entre setembro e outubro com 85 empresas, sendo 55,3% delas com mais de 100 colaboradores. A maioria dos setores de serviços de softwares (15,29%), financeiro (12,94%), serviços profissionais e comerciais (12,94%). 

Entre as 95 startups entrevistadas, a maioria (84,2%) com menos de 50 profissionais de segmentos diversos (18,9%), fintechs (11,6%), HRTechs (9,5%), RetailTechs (9,5%) e EdTechs (8,4%), entre outros.

A pesquisa trabalhou com intervalo de confiança de 95%, com margem de erro de 9,9% para as startups e 10,6% para as empresas. 

OPERADORAS

A pandemia mudou muito o comportamento e consumo das pessoas, mas quando se trata de telecom, ela não influenciou muito nessa decisão. Segundo uma pesquisa realizada pela NZN Intelligence, dos entrevistados que trocaram de operadora para internet móvel ou fixa, 80% dos entrevistados que trocaram de plano de celular ou internet fixa o fariam mesmo se não estivessem em quarentena, contra a apenas 20% dos entrevistados só trocaram de operadora ou plano devido à pandemia.
Entre os fatores decisivos para a mudança, 44% das pessoas atribuíram a troca a condições e planos mais baratos em outra operadora, apenas 29% justificaram “problemas de conexão” como fator decisivo e 28% por estar passando mais tempo em casa e precisaram de uma operadora melhor.
A qualidade da conexão também foi o principal ponto entre aqueles que não optaram por outra operadora. Em relação a quem continua com o mesmo plano, 30% precisaram relatar instabilidades ou quedas de conexão à empresa responsável e 63% trocariam se os caso encontrassem valores inferiores ao que pagam.
“Com mais tempo em casa, as operadores tiveram que buscar por melhorias na qualidade da internet oferecida e no valor passado para o cliente para mantê-los fiel. Com tantas opções no mercado e todos vivendo em uma crise, pensar em como beneficiar seu consumidor é um fator decisivo para ele continuar com a empresa”, conta Tayara Simões, diretora de marketing e sales da NZN.
Um ponto que merece destaque é a relação a atendimento e suporte: 25% considerariam migrar para operadoras que se preocupam com os clientes, 27% pela variedade de serviços e 15.9% por recomendações de amigos.
A fim de compreender o que muda nos hábitos de consumo dos brasileiros conforme os segmentos da economia e entender o que já virou tendência em suas rotinas, a NZN desenvolveu um hub de dados para marcas e anunciantes acompanharem os principais números ligados a mudança de hábito dos brasileiros em seus setores. Também é possível que a marca faça levantamentos personalizados com o tema de interesse.
Tayara conta que a motivação para a construção do Hub Intelligence partiu do objetivo da empresa de trazer dados e informações relevantes para que marcas tenham ainda mais insumos para direcionar seus esforços de comunicação digital e suas campanhas.
Para ter acesso aos levantamentos e solicitiar um estudo personalizado, acesse: https://artigos.nzn.io/habitos-de-compra-na-pandemia

GOOGLE

O Google for Startups Accelerator chegou à sua 7ª turma e a Tembici, líder em tecnologia para micromobilidade na América Latina, está entre as dez startups brasileiras que receberão suporte em desafios relacionados à tecnologia, relação com os clientes e até mesmo liderança, em sessões de mentoria e prática 100% online, durante três meses. 

“O programa vai nos ajudar a entender melhor as possibilidades e tecnologias disponíveis para conseguirmos, dentre outros desafios, otimizar a oferta e rebalanceamento de estações e bicicletas, utilizando fatores como clima, relevo, hora do dia e tipo de usuário, por exemplo. Além disso, é uma grande oportunidade de troca com mentores extremamente capacitados, que trazem uma visão global de projetos, produtos e tecnologia”, comenta Loren Monteiro, CPO e CMO da Tembici.

O investimento em inovação, atrelado à mobilidade urbana, é um dos principais focos da empresa, que, em junho, anunciou o aporte de 47 milhões de dólares para investir em aumento de frotas, implementação de bikes elétricas e em tecnologia.

A expectativa da participação da Tembici é extremamente positiva, em um momento em que investimentos e fomentos à mobilidade ativa são fundamentais para a construção de cidades mais inteligentes. Para Rodrigo Carraresi, gerente do Google for Startups no Brasil, esse é um dos maiores diferenciais do programa. “A 7ª turma conta com mais de 65 mentores, de diferentes cidades do Brasil e dos Estados Unidos, além de Buenos Aires, Tel Aviv e Bogotá. Vejo como uma vantagem da dinâmica online do Accelerator, já que conseguimos reunir em um lugar só pessoas do mundo todo, cada uma com a sua expertise para compartilhar com as startups brasileiras”, explica. 

LEIA MAIS

DESTAQUE: Vencedores Prêmio Caboré 2020

ESPECIAL: Mulheres no topo de organizações

VÍDEOS: APP – FEST’UP 2020

Tem OPINIÃO, CHARGE do talentoso Cado Bottega e ARTIGOS: de Edson Silva, Presidente do Grupo Nexxess; José Muritiba, diretor executivo da Associação Brasileira de Startups; Bruna Richter, psicóloga; Marcelo Pires, sócio-diretor da Neotix Transformação Digital; Claudia Elisa Soares, Conselheira de Administração em companhias como IBGC, Even, Gouvêa Ecosystem e em Comitê da TUPY S.A. e do nosso articulista José Maurício Pires Alves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *