José Maurício Pires Alves – 10.12.2021

COMO VAI O PROCON?

Por José Maurício Pires Alves, Diretor Cultural da APP e CEO da Atalho Soluções em Comunicação

Nesta semana o Procon-SP emitiu nota à imprensa informando que o apagão do dia 4 outubro, que afetou usuários do Facebook, Instagram e Whatsapp, levou o órgão de defesa a aplicar penalidade de 11 milhões de reais.

Diz a nota: “O Procon-SP multou a empresa Facebook Serviços Online do Brasil por má prestação de serviço. No dia 4 de outubro, uma falha deixou os aplicativos fora do ar por cerca de seis horas e afetou mais de 91 mil consumidores brasileiros do Facebook, mais de 90 mil do Instagram e mais de 156 mil do Whatsapp. O valor da sanção, calculada de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, foi de R$11.286.557,54; a empresa tem direito a apresentar defesa”.

Também por ocasião da Black Friday acolheu 700 reclamações em São Paulo e mais de 70 em Porto Alegre, onde 80% delas referiam-se a falsos descontos, armadilha comum quando os comerciantes aumentam os preços antes da promoção e depois oferecem o preço normal como se fosse com desconto. É aquela velha história do “pague a metade do dobro”.

As demandas mais recorrentes em São Paulo foram: atraso ou não entrega (25% do total); pedido cancelado após a finalização da compra (23% do total); mudança de preço ao finalizar a compra (11%); maquiagem de desconto – quando o desconto oferecido não é real (11%); e produto ou serviço indisponível (11%).

Então, gente amiga, parece que o Procon está fazendo o que esperamos dele: atuar em defesa de nossos interesse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *