Fernando Garbarski-30-04-20

O RIO GRANDE DO SUL DEU CERTO E O BRASIL?

Por Fernando Garbarski – sócio diretor da Impresul Gráfica e Editora

Estamos ha 40 dias de isolamento social em todo Brasil. A grande notícia foi que o isolamento social segurou a curva em muitos estados. A região sul foi um exemplo assim como a região sul e centro oeste. Nossos números de mortes por milhão são muito longe da média Brasil, média americana e europeia.

Vejam alguns números:

Apuração até 20 abril na Europa e 24/04 Brasil:

Itália: 401,9 por milhão

Espanha: 417,04 por milhão

Alemanha: 54,93 por milhão

USA: 123,41 por milhão

Média Europa: 254 por milhão

BRASIL: 15 por milhão

São Paulo: 24 por milhão

Amazônia: 46 por milhão até

Rio grande do Sul: 2,5 por milhão

A diferença do RS pro Brasil e Europa é espetacular. Estamos muito melhores e podemos começar a volta à normalidade com controles. Uma volta administrada com temperatura e pressão sob controles diários.

Nova etiqueta social, EPIs de segurança em hospitais e empresas, testes que estão chegando e serão úteis para identificar os casos positivos bem como fazer o tracking dos seus contatos serão necessários para essa nova etapa. O Rio grande está pronto para a volta.

Por outro lado, o Brasil está em uma situação preocupante.Tão preocupante que o presidente Trump cogita em fechar as fronteiras com nosso país . Justamente o país que hoje é o epicentro da pandemia mundial. O que isso mostra é um possível colapso de saúde no Brasil. Países que já estão numa fase mais avançada, nessa semana que estamos passando, já estavam entrando em uma curva descendente de mortos. Por aqui, estamos com a curva ainda ascendente de mortes e a uma velocidade de 10 % ao dia. Estamos rumo a 100 mortes por milhão em 30 dias e se continuarmos nesse ritmo, 200 por milhão que é a média Europeia. Ou seja, algo está errado. Algo deu errado. Fizemos ( não o RS e alguns outros estados ) um isolamento Nem Nem. Nem trabalhamos e nem seguramos a circulação do vírus. Ou seja, um desastre. Estamos correndo o risco de dar dois passos para trás e sermos obrigados a fazer lock down no estilo europeu e americano. Estados como São Paulo, Rio de Janeiro, alguns do Nordeste e o Amazonas são os candidatos ao lock down brasileiro.

As próximas semanas serão decisivas para o Brasil. Ou as mortes declinam como estão acontecendo em outros países, ou o desastre será eminente. Que o Rio Grande sirva de exemplo pra todo o país. Sigam nossas façanhas de modelo a toda terra!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *