ARROGÂNCIA-13-12-19

ARROGÂNCIA

Quantos anúncios, posts, mensagens, e-mails e publicações você já viu sobre o maior especialista em alguma coisa? O dirigente dos dirigentes? O publicitário dos publicitários? O maior especialista em determinada mídia digital ou outro assunto? Que tremenda presunção, pois quem é que atribuiu a esta pessoa o título? Certamente ele(a) mesmo(a). O detalhe é que geralmente estas pessoas têm a solução fantástica para tudo. Você nunca ouviu falar delas, mas são as melhores. Certa vez ouvi a história de que um consultor renomado vivia dizendo que era professor em diversas universidades pelo mundo e possuía formação acadêmica altamente diversificada e que causava até inveja. Um dia um jornalista resolveu investigar e descobriu que a maioria das informações era mentira. Conhece algum caso assim? Mentir é fácil! Atribuir valor maior a si mesmo também é! Afinal, a maioria das pessoas não vai atrás da informação verdadeira e acaba comprando aquilo que lhes é dito. Infelizmente a arrogância vende bem nos dias de hoje.
Acredito que já tenha ouvido algo assim, ou até mesmo trabalhado com alguém assim. A arrogância está cada vez mais fadada à perda de produtividade e de resultados quando o assunto é o mundo corporativo. Ninguém mais aguenta aquele chefe que só sabe impor. As relações sociais não suportam mais pessoas que intimidam, que destratam, que humilham. Ainda há pessoas assim no meio profissional, mas as empresas mais competitivas e com perspectiva de crescimento sabem que é preciso trabalhar suas lideranças e propor novas forma de gestão, mais baseadas no diálogo, no feedback. Porém isso também serve para aqueles que não têm cargo de chefia, mas detêm outro tipo de poder, o do conhecimento. Saber algo que ninguém sabe ou poucos sabem pode gerar a tal arrogância, mas cuidado, pois com a velocidade da comunicação e do aprendizado quase todos podem adquirir o mesmo conhecimento.

A arrogância está impregnada em nossa sociedade. Seja nos esportes, na educação, no trânsito, na política, na rua, nas organizações… enfim, em todos os lugares. Estamos perigosamente nos tornando presunçosos, prepotentes, arrogantes e nem estamos nos dando conta disso. Nas mídias sociais imperam atos de arrogância. Nas tomadas de posse de entidades. Nas manifestações públicas também. A falta de respeito e limites abrem espaço para isso tudo.

Há muitas outras reflexões sobre arrogância, mas aí o meu querido leitor pode divagar e se lambuzar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *